Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sândalo Madeira.(Flamengo)

Sândalo Madeira.


A quanto tempo eu conheço você, desde a primeira vez foi inusitado,
fila do INSS, fala sério, ambiente tão pesado e me senti tão sereno.
A serenidade não está no ambiente e naquela saborosa manhã
pude sentir o prazer e a alegria do teu sorriso, da tua compania.
Serenidade, se sentir sereno, hoje eu sei, você não pode pegar sereno,
e nos meus pensamentos ascendo um incenso, sândalo madeira,
só para dizer o quanto gosto de você, quando sonho posso voar.
Minha imaginação tem asas, são dias de luz, dias de sol, veja o mar,
que dia azul, me lembra Trindade. Já ti falei? Sinto saudades de nós.
Deixei você pegar sereno na praça, vento na praia, mas teve bons momentos,
momentos românticos, e os românticos são loucos, românticos são poucos.
Fazem dos sentimentos memórias eternas, guardadas em memória ROM.
ROM, sigla que designa um tipo de memória, permanente cujo conteúdo
pode ser apenas lido(acessado), mas não pode ser modificado por novas
gravações. Nossa história não pode ser modificada, mas pode ser lembrada.
Eu preciso ti falar e rever o teu sorriso, tentar entender o que aconteceu,
procurar nas palavras os erros, poder voltar no tempo, eu preciso descobrir,
qual o segredo que em pouco tempo fez meu coração se entregar à emoção.
Não me deixe na solidão, mas como animal ferido eu procuro abrigo, e faço
da dor um desabafo, faço da dor um grito, a dor é um alerta para o corpo,
onde algo está errado e precisa ser modificado. Então eu digo: eu não ligo.
Uso minha memória RAM, sigla que designa um tipo de memória temporária
e de acesso rápido para leitura e gravação, e se você não salva, se perde.
Se perde na memória. Do que eu estava falando? Tem jogo do Flamengo.
Flamengo e São Paulo, e aos cinco minutos do segundo tempo, Ibson marca,
no dia cinco de Outubro de dois mil e sete, às PM 10:50. É gol, é alegria!
Isso pode ficar gravado, pois o amor que sinto pelo mengão não se apaga,
com o tempo, nem com as derrotas, é amor incondicional, é memória eterna.
Então eu canto e espanto todos os males, e com o tema da vitória me lembro,
do Ayrton Senna, um Brasileiro, e eu sou Brasileiro, com muito orgulho e
com muito amor, e sendo assim não desisto nunca, olha esse refrão:
“Tu és time de tradição,
raça, amor e paixão,
oh meu Mengo
Eu sempre ti amarei,
onde estiver estarei,
oh meu Mengo”
Ricardo di Paula, 06/10/07.



Ricardo di Paula
Enviado por Ricardo di Paula em 27/11/2007
Código do texto: T754365

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ricardo di Paula.(ricardo.mync@ig.com.br)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo di Paula
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 49 anos
327 textos (72653 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/11/17 08:05)
Ricardo di Paula