Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Oferenda

Fareja-me o lobo faminto
A roçar-me o áspero pelo
Escuro que não vejo
Traiçoeiro
No olho quase âmbar
De macio cordeiro
A lamber-me corpo inteiro
Com boca de fera, mormaço
Em eflúvios de absinto
Saboreando o puro sal
Da carne tenra e crua
Eu, oferenda nua
Estendida no terraço
Braços em cruz
Embriagada consinto
O profano sacrifício
Mas brilha-me a flor
Centelhas de intensa Luz
Meus fogos sem artifício
Fazendo contorcer-se o animal
Em suas entranhas ansiosas
Pois sem disfarces é o instinto
Da ovelha enlouquecida que uiva
Presas clamando à curva da Lua
Que fulmina a besta covarde
Alma de lobo encarnada em cordeiro
E a mim, banquete sem defesa
Estrelas se entregam, líquidas
Despejando o fluido universal
Vestem-me o manto das nebulosas
E liberta do transe, afinal
Reverencio a bondade infinita
Crendo ainda - leve - no amor divinal
Cósmico, sim. Aquele imortal.

Claudia Gadini
17/02/06
Claudia Gadini
Enviado por Claudia Gadini em 17/02/2006
Reeditado em 24/02/2007
Código do texto: T113177

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Claudias Gadini). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Claudia Gadini
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
318 textos (54197 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 12:27)
Claudia Gadini