Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O MESTRE ESPANHOL

     S empre pincelando o inexplicável, inatingível tecia
     A ssim ia deixando sua arte no horizonte Dantesco
     L ivre nos dopantes psicodélicos inqüietos mundos
     V inha do inferno transcendental para nestes fundos
     A tinar a filosofia motriz girando no ar fantástico
     D ividendos formados no Quark dum cálice pedregoso
  O lvidar quase peditório em ansiado polícromo tempestuoso
     R ealidade heterônima sob tais mefistofélicos mares
     
     D entre todos sentidos sobe com uno melissografo
 A dentro transpõe megatons quanto mais opimos orbitários
     L ente quando expõe íons caprifoliáceos-niilitários
     I ntimamente eclodido entrando num palimpsesto ografo
   
     S erúleo pintor das telas platirrinas ebulçadas
     A loés artista feito por obras bem rebuscadas
 L eve peso que adstrigente queima tuas véias trinchantes
     V oa como o pássaro Varsoviano és asas lancinantes
     A sas essas que alçam traslados ceios malucos
     D oidamente vivo em seus museus wagnerianos
     O scila e vacila imortal nuns lapsos Esperantos
     R égio destes ceptros íclintos relances translucos

     D ias eternizam
     Àquelas faces imaginárias
     Lentamente expletárias
     In memoriam ternizam.
Edemilson Reis
Enviado por Edemilson Reis em 26/03/2006
Código do texto: T128608
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edemilson Reis
Vespasiano - Minas Gerais - Brasil, 27 anos
332 textos (127552 leituras)
4 e-livros (593 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 22:12)
Edemilson Reis