Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LOUCURA MANSA

Não sei se sou eu uma louca mansa
ou uma perfeita idiota
um brinquedo perfeito
um idiota brinquedo
com que todos fazem questão de brincar.

Se assim sou
não entendo por que me importo
mais fácil é aquietar-me
e deixar-me brincar, diverti-los
Jogar-me pra lá e pra cá
e calar-me só
assim, como uma louca mansa,
uma idiota qualquer.
Não sei se sou eu assim
o troféu, o jogo principal
a vitória final, o prêmio maior,
a coisa controlada, arredia e calada,
um animal, um bicho qualquer.

Se for uma louca, que me prendam,
se for um jogo, que me vençam,
se for um animal, que me soltem
que abram a jaula, que me cresçam as asas,
que me deixem voar.
Que abram logo essa porta
que me deixem fugir, sair por ai,  correr, partir,
curar a loucura do brinquedo preferido, ideal,
romper a corda, pular o muro,
parir as dores que eu não tive,
rir o sorriso extasiado, solto, livre, rasgado
e passar pro outro lado,
louca, mansa, fazendo parte do jogo
sem ser a carta principal.
angela soeiro
Enviado por angela soeiro em 16/06/2006
Código do texto: T176839
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
angela soeiro
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 52 anos
88 textos (3359 leituras)
1 e-livros (36 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 11:41)
angela soeiro