Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CENTÉSIMO SENTIDO

Eu não tinha o que fazer
comecei então a pensar
precisei de um tempo,
pra não me atrasar
eu comprei um cuco
e naveguei num asteróide
que batera na superfície do oceano,
perfurou a profundeza desses mares
naufragando "titanics"
derrubando aviões
e destruindo reinos
que tinham muralhas enormes.
Num dia desses
meu criador conversou comigo
disse com amor:_eu sou seu amigo!
Com muito pudor eu fiquei exprimido
meio vermelho, sem jeito
eu quis esquecer o espreito
que um dia eu fiz por curiosidade
e acabei me dando mal.
Pedi desculpas a ele
ele entendeu
Explicou-me que devo obedecê-lo
pois ele é o caminho certo,
Mostrou-me o que pode fazer
e até onde eu posso ir.
O meu criador conversou com todos
mas nem todos o escutaram.
Eu arrumei algo para fazer,
parei de pensar,
depois que fiz um último pensamento:
há quem pensa que não vive
há quem pensa que vive muito
há quem pensa que foi esquecido
há quem se lembra de todos
há quem vive pouco
há quem viveu pouco
há quem aproveita a vida
há quem se esqueceu perdido
e não foi se procurar
e se matou.
Meu Pai!
Eu errei muito
eu erro
e sei que vou errar,
mas por que eu não sei
que saber disso
Impede-me de saber me corrigir?
E por que deve haver por quê?
Eu caminhei sozinho na sua companhia
por um deserto numa noite fria
derretendo ao sol, num dia quente
mas consegui chegar onde queria,
eu não pensava sozinho.
Depois de algum tempo sem pensar
eu quis pensar novamente,
e do horizonte de repente
nos meus olhos chegava uma luz
olhei sem cessar
escutei alguém falar
e corri sem parar.
Na montanha que subi pela manhã
que estranha quem desce se jogando
só resta deitar-se no divã
esquecer o vento que veio com a chuva
no momento que os arames me arranhavam
ao tentar esquivar-me das espadas,
Nas galhas de uma árvore,
que encontrei pelo caminho numa encosta,
salvei a minha vida.
Peitei a morte
e por sorte
eu a venci.
Uma estrela, uma dessas que conheci
refletiu-se no espelho,
A imagem que vi
feriu-se ao quebrá-lo
aorta cortada
fugindo de si raios de luzes
que vazavam pela fresta ruída por cristais.
Água viva
água que nos mantém vivos,
alimento nos sustenta
e nos fazem sadios,
ar, puro ar poluído
é o que temos
é o que nos resta,
governantes...
por eles somos manipulados,
pois são eles que deterioram as coisas,
nossos salários miseráveis incapazes de
sustentar as mandíbulas da fome
controladas pelas mãos de tais poderosos
que usam seus poderes contra os fracos
e esquecidos.
O povo com o pouco que ganha
paga caro pela vida,
Eles, com o muito absurdo que roubam,
ganham tudo de ‘graça’
e o dinheiro sujo que foi lavado
continua sujo
cresce abusivamente em bancos exteriores.
Jesus Cristo
que tenha pena de nós...
eu não acredito nas coisas que estou vendo,
contrario São Tomé,
mas não dá pra acreditar,
só quero saber onde vamos parar
ou onde tudo isso vai dar,
pois me lembro que,
o juízo final está para chegar!
E eu não devo julgar para não ser julgado
mas só estou tentando abrir os olhos
de quem está sonhando que sonha
mas vive um pesadelo!
Amar uns aos outros...
eu sei deste mandamento,
e tudo se deve ao amor
pois devemos amar a Deus sobre todas as coisas
e esquecê-las, pois as coisas ficarão,
mas Deus nos espera.
É difícil amar?
Não.
Odiar que é muito fácil.
Pense sem cessar em fazer o bem,
pois já faz bem pensar em coisas boas,
é bom para o seu espírito
e agradável para sua mente.
Não seja fraco
espere pelos resultados
não plante sementes
esperando que nasçam no outro dia,
tenha calma e fé
e a semente será árvore
o embrião será vida
e esta vida pode te salvar.
O senhor criou o fogo
mas fez a água,
criou o sal
mas fez as abelhas e a cana,
fez o sol
e trouxe a lua,
fez o homem
mas tirou dele uma mulher,
deu pernas aos homens
e asas aos passarinhos,
tirou pernas de homens
mas deu-lhes inteligência,
tirou asas de passarinho
mas eles podem ciscar a terra,
Deus é tão bom que deu tudo ao homem,
deu as dificuldades
mas nos deu braços fortes para lutar.
Damaso
Enviado por Damaso em 23/08/2006
Código do texto: T223128
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Damaso
Rio Manso - Minas Gerais - Brasil, 34 anos
326 textos (17038 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:44)
Damaso