Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dorso do Amanhã

Lata de isopor,
Livro de algodão,
Lixa de cus-cus, loção de lã.

Hortelã de arroz,
Doce de urubu,
Poste de pneu,
Romeu correu da cruz.

Água de metal,
Trauma do tricot,
Resto de sabor e mão de mel.

Um cinzel de pó,
Rito da ração,
Carne de papel,
O Léo não leu a luz.

Dorso do amanhã,
Fundo do furor,
Dia que não teve gestação.

Fóssil do final,
Riso da razão,
Um boné pro pé da ilusão da cor.

Face do vapor,
Neve de marfim,
Pingo que aferiu a podridão.

Sinto de sabão,
Sabre de cetim,
Jaboti bateu na alucinação.


Rio, 09/09/1977
Aluizio Rezende
Enviado por Aluizio Rezende em 23/09/2006
Código do texto: T247265

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aluizio Rezende
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
6596 textos (144454 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 02:44)