Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"Superstição"

A chuva cortava fina à frente.
Eu por detrás da vidraça embaçada
Que chorava escorrendo sem rima
Olhava com dificuldade as calçadas.
Então o Sol gritou BASTA!
E o vidro repicou em frangalhos
Agora, numa visão casta ví
O quintal cheio de galhos.
Caídos?!

De súbito lembrei-me ali
Por um pingo na cabeça
Levei a mão que voltou vermelha!
E arrepiei-me em olhos no chão.
Um grito pavoroso de escárnio...
Olhei de relance
E pelo mêdo desesperado arriscou-se
Um vulto prêto do gato-prêto,
Lançando-se à minha frente pelo vento

Zunia, distanciando; de costas para mim
No pátio, as calçadas do pátio
Em pegadas, o sangue.
Pressinto... um Fim.
Debora F
Enviado por Debora F em 25/09/2006
Código do texto: T248845

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Debora F
Arco-Íris - São Paulo - Brasil
106 textos (4533 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 06:08)
Debora F