Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poeiras

Minha cabeça baila sobre as nuvens.

As chamadas do acaso me fazem saltear à cerca do vazio.

Grade de estrelas,

Mundo de farrapos.

Brisas suspiram nos ouvidos do rio.



As águas nas pedras de bilhar,

De trapo.

Caminhos tenebrosos a jorrar calado.

Os sons da noite se mesclam no alvorecer

O meu passeio nas folhagens de um bem alado,

Só estimula aos brios ensurdecer.



Aos quatros cantos de mãos acenando,

Nossos felizardos troncos rumo à liberdade.

Amados vamos no céu navegando...

Sobre passos,

Dançando na ambigüidade.



Então vamos amante,

Na satisfação de meu setembro...

No sorriso,

Um espelho de luz.

No olhar,

Um vasto vivendo.

Na alma destas poeiras azuis.
Alcebíades Segundo
Enviado por Alcebíades Segundo em 13/11/2006
Código do texto: T290429

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Com respeito aprópria obra e propósitos utilizados para o conhecimento literário e a evolução da vida.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alcebíades Segundo
Guanambi - Bahia - Brasil, 38 anos
163 textos (9517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 13:07)
Alcebíades Segundo