Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ALEGRIA PELO CHÃO, FOLHAS SOLTAS

Do livro que se esvai em sangue e que escorre pela estante sou autor e personagem. Nele feri minhas mãos e o coração estilhaçou-se.

Do confete que enfeita o seu carnaval, sou a seiva da árvore que não vê. A que está contida nas folhas miúdas que lhe cai pelo corpo em alegria.

Das rimas, loas e louvações atiradas sobre o teu corpo, feito chuva e flores, sou a nuvem negra que despenca e o jardim que apara toda a água dada em sede.

Sou solo fértil em que se planta, onde semente que se abre, donde brota o caule que sobe ao sol, bebdi em fotossíntese da loucura.

Da clorifila que resulto, sou o cheiro da manhã que desponta, a romã a espera da sua boca na árvore e que apodrece sem a mordida querida.

Quiça tudo seja apenas uma questão de palavras, alma em dissolução, mente em desvario, na contramão, contradição.

De qualquer forma fico aqui no meio fio, afiando o facão para o corte, criando o mote para poesia barata que teço na roca do incerto - impreciso e desnecessário como um navio sem rota.

 
Raul Los Dias
Enviado por Raul Los Dias em 16/11/2006
Reeditado em 17/11/2006
Código do texto: T292834

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Raul Los Dias
Argentina
512 textos (75896 leituras)
1 e-livros (178 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:53)
Raul Los Dias