Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Saga de Eva

Comprei maçãs vermelhas
tão verdes que não amadurecem
como o olhar ao sol que cega-te
mas contemplas feito forasteiro
e sabes que é maravilhoso

Vendi as maçãs, dei-te outras
eram de um verde tão doce
como fechar os olhos ao beijo
e ensurdecer. Mas, se timpaniza
tu bem sabes que é lamento

Comi maçãs. Gestacionei-as ao ventre
e eram tão minhas, tão filhas
foi como digitalizar os dedos
sem ter de fato digitais nos mesmos
e ainda, assim, certificar-se do nascimento

Secretei maçãs verdes, feito suco
era cristalino, límpido e doce
como o mel agridoce de pseudo-abelha
e sem tê-las se quer espremido
ofereci-te todo, cada gota derradeira

Secretei maçãs vermelhas, feito água
como um sangue que antecede
aquele período da safra mágica
e fui-me infértil nesse pomar
que é de fato: o das maçãs na prateleira
Lenita Gonçalves
Enviado por Lenita Gonçalves em 05/09/2007
Código do texto: T640331

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Lenita Gonçalves). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lenita Gonçalves
São Paulo - São Paulo - Brasil
61 textos (2229 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 11:51)