Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Que água!



Bebi água de fogo
de formigas que não mordem,
dos espelhos que nada refletem,
dos piolhos que nada coçam.
Compondo veredas, caminhei
nas largas estradas dos gritos de crianças,
meio à zoada de alianças
em triste veio do poeta
onde habita em mim a minha casa.
E nos alpendres do céu
pus a rede que ganhei no inferno
e de porta em porta
e janela em janela
nada se abriu
para que eu pudesse ver a rua,
quase nua
deserta...
Paulino Vergetti Neto
Enviado por Paulino Vergetti Neto em 11/09/2007
Código do texto: T647964
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulino Vergetti Neto.(paulinovergettineto.blogspot.com/)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Paulino Vergetti Neto
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 59 anos
2391 textos (136927 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 01:49)
Paulino Vergetti Neto

Site do Escritor