Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

... d’enlevo e de fascínio

Da pedra e do ancoradouro liso,
o limo verde penetra desumano um espaço assombrado
d’enlevo e de fascínio.

Deslizam as coisas vãs, em pinturas pré-colombianas,
quando, no restolho de planuras adormentadas,
o Sol sem brilho ainda não jaz,
… no tanto, no agora, no tanto faz.

Gladiador em caminho oferto rumo ao Palácio de Cristal,
faminta a inanidade proclama a espada,
o frio concreto, o gume do vil metal.
Desbasta-se cansada na erva impura,
ceifeira sem terra,
mareante de um mar sem paz.

Imune à dor retumba no combate,
se a madre terra acorda e sente ausência da semente
e logo fita o vazio azul  nas pupilas pontiagudas,
de si, na vacuidade de ser gente!

Do absurdo da serra, no beijo ao homem bomba,
o sangue ultrajado escorre-se na elevação da hora.
Na sala, ao fundo, o relógio pendular ribomba e chora …
Sublimes os lírios desavindos que o ar reúne.

 

Mel de Carvalho
Enviado por Mel de Carvalho em 29/10/2007
Código do texto: T715293

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mel de Carvalho
Portugal, 56 anos
129 textos (4555 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 14:42)
Mel de Carvalho