Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SALTIMBANCO BLUES

O guitarrista faiscante esfacela sua reluzente guitarra,
enquanto o velho vulcão só consegue soltar um ou outro impropério,
resultante de tanta carne podre mal digerida através dos séculos.


Composta de pele e vértebras, mas decomposta pelo grito ácido,
arranca a teen ager leader o bico da teta e com ele faz piruetas
entre o nariz e o queixo, atirando urros e beijos,
no mesmo momento que a terra estremece e uma vela aparece.

Coincidência ou não, seu tresloucado brinco perfura o único olho
do músico míope, o qual, chocado, atira-se sobre a platéia,
fazendo emergir das tripas estrofes cobertas de glória e de sangue.

Penetra o facho goela abaixo e esguicha pelo traseiro peidos ululantes,
tal qual hinos consumistas explodindo muito longe,
mas quem come bananas de dinamite arrota raios
e, se não tomar cuidado, morre de indigestão.

No entanto, a pivete se limita a molhar os dedos no próprio sexo.
O êxtase não precisa vir a acontecer durante o silêncio . . .

A quinta corda do violão é a corda do blues,
quando arrebenta, não desafina,
mas rasga a calcinha e enforca o clitóris.

O êxtase não precisa vir a acontecer durante o silêncio . . .

Nelson d Paula
Enviado por Nelson d Paula em 07/12/2007
Código do texto: T768484
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nelson d Paula
São Paulo - São Paulo - Brasil, 67 anos
335 textos (7947 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 06:30)
Nelson d Paula