Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Alma índia

Alma Índia

Através da janela do trem
que perdi
passeiam imagens
que não vi.
Meus dedos dedilham
um violão imaginário
com canções
de um repertório
que inventei para mim.
É mato, poeira,
rede, esteira,
naquela cabana
no meio do mato
em sonhos e fatos
que me embalam.
Meu corpo é selva, é relva
onde meu espírito índio habita.
Minha tribo já não existe
e a voz de Tupã insiste: - “Pegue o trem”.
Mas a estação está tão longe
e absolutamente vazia
e minha preguiça ancestral
ignora a voz que dizia: - “Aqui não é sua terra natal”.
Que Tupã me perdoe
e outros deuses da mata
mas vou perder este trem
e o outro que vem
e os outros que possam vir.
Ficarei por aqui,
índio sem taba, sem tribo,
cavalo sem estribo
não quero prédio ou parede
meu abrigo é esta rede
que meu corpo aquece.
O resto...
bem, o resto esquece!

Mauro Gouvêa
(2002)

Conheça outros poemas: http://www.recantodasletras.com.br/autores/maurogouvea
Mauro Gouvêa
Enviado por Mauro Gouvêa em 08/02/2006
Código do texto: T109370

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Mauro Gouvêa - www.recantodasletras.uol.com.br/autores/maurogouvea). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mauro Gouvêa
Alfenas - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
432 textos (56486 leituras)
3 áudios (837 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:55)
Mauro Gouvêa