Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Se

Se não fossemos escravos da paixão,
Se o amor fosse a razão,
Que pautasse nossas vidas,
Não nós não veríamos
Corações prostituídos
Numa lógica ilógica
Aonde tudo é mercável.
E as colas de sapato
Só colariam os calçados
As armas cuspiriam fogo
Fogo de versos e poesias
Quem sabe um dia
Sorrirei como criança
Talvez ainda sou criança
Por cultivar minhas utopias

Eu sei
Que os vermes comerão meu corpo
Só que não vão matar meus sonhos
Desculpe por sonhar!

Se isso te faz mal
Ver o mundo como está
Ver as pessoas como são
Pensar no que devia ser

Eu sei
Vida não passa devagar
Então começo a divagar
Que exemplo deixarei
Pros netos dos meus netos
Futuro está em nossas mãos
Sei que a paz não me pertence
Desejo ficará
Vivo na memória
Na memória de quem vive
Pois transcende minha existência
Querer o que eu não vou ver.

Desculpe por sonhar!
Hermison Frazzon da Cunha
Enviado por Hermison Frazzon da Cunha em 04/03/2006
Código do texto: T118524
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Hermison Frazzon da Cunha www.recantodasletras.com.br/autores/mano). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Hermison Frazzon da Cunha
São Leopoldo - Rio Grande do Sul - Brasil, 37 anos
103 textos (26992 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 07:53)
Hermison Frazzon da Cunha