Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MONSENHOR DEOLINDO COELHO


“Abênça pade Deolindo!”
era assim que dizia
a matutice do pobre
com lastros de cortesia.
Se alguém lhe tocava a mão,
outros a beijavam então,
pediam-lhe a intercessão de Deus
para a cura de um irmão.
Reverentes suplicavam
o perdão na confissão,
tantas vezes requeriam
para um enfermo a unção.
-Servia bem, com alegria,
sem nunca arder-lhe a feição,
igual esmero imprimia
à tão grandiosa missão
de levar aos filhos: luz,
requinte, amor, devoção;
foi seu grandor revivido
a cada dia com emoção.
Verdadeiro seguidor
de Cristo na vocação,
Vigário amado e feliz
viveu entre nós então.
Resoluto, enfim, se fez
soldado, da fé guardião;
esplendor, saudade e glória
deixou-nos no coração.
Que seu exemplo de vida,
se transforme em oração.

Zecar
Enviado por Zecar em 02/05/2005
Código do texto: T14382
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Zecar
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
249 textos (20146 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 02:17)
Zecar