Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Verniz



Ao chegar a noite
Descanso na paz de minha inconsciência
Plena de infecundas prepotências
Sonho, ao sonhar que pelos anjos sonhado sou

Por debaixo da soleira da lembrança deixo-me bilhete
Sub-reptício a este sem que eu saiba
Porque no fórum, ainda durmo ante anestesia
Dos dias demarcados em gotas de instantes

Ah, sede de vivo acordar!
Apressar-me à missiva cunho pré-escrito
Cursivo de um alfabeto já coisa
No propósito lento ao entender

Agora que não penso mimeticamente
Percebo que meu coração é alcova
Ante câmaras fechadas às loucuras
Envernizadas do nobre vernáculo “ser”

Ainda não me sei
Mas sei o tanto que portanto me desprezei
Nem por isso sou de fato prefácio
Do que ainda me escreverei
leandro Soriano
Enviado por leandro Soriano em 01/05/2006
Código do texto: T148736
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandro Soriano
Santos - São Paulo - Brasil, 59 anos
199 textos (8370 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:06)
leandro Soriano