Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tire a segunda-feira

Tire a segunda-feira de sua imaginação
E todo este velho calendário
Crês que há um só poder em toda a existência ?
Quando estiveres eufórico de passagem vislumbre a essência
Mesmo que fores sem a glória e na dor, queira ainda subir
 e subindo veremos o que o mal pode lá em cima... nada !
não é o fim.
dê o seu sim, com lágrimas de alegria; há profecias ao redor; o sim...

e a poesia... tenho dito ultimamente, também para mim.
E vamos ressaltar antigas rimas.
 
Você , que não soube reconhecer os amigos pelo caminho
Mas sempre na memória sentimental deles viveu.
Os buscou em todos.
De fato foi você que escolheu vir por aqui.
 
Este sofrimento é bem menor do que o bem que existe.
O ódio nada pode contra a verdadeira felicidade
E daqui destruído estas, há ainda a faísca divina em ti.
 
Para seus inimigos disses: “ não concordo com o que vocês fazem, isto não é do bem,
Se não para mim, porque para vocês?
Não faço o que vocês fazem, disso nada aproveito.
 
Quem são eles  ?
somos iluminados para todos eles.


28/10/2004
 
não se diz mais nada,
diz-se apenas o que deve ser e é

não são fórmulas buscar o amor,
é o próprio ser que vive.
Se soubéssemo tudo , o que conversaríamos ?
Vamos cantar.
28/04/2005

ele pode escrever mil linhas
mas quer gostar do que escreve.
Potencializa, sabe que há um segredo por perto
Para ser descoberto, sabe que vai retornar à corrida
Alcançará os outros na próxima curva
Não se conforma com a derrota
Por isso faz assim
E vai conseguir
São monólogos diálogos.
Em que ele mesmo não sabe o significado
Ele entra na vida que tudo tem
Mais uma frase
Conversa consigo mesmo
Vai andando como fez antes.
Sabe que a última coisa que lhe vem
é o que deve ser feito
seja ela até não fazer nada
volta pois já andou muito
e vê na circunferência de um arco-íris completo o céu
vai entrar por ele
hesita por um instante
batalha... vai em frente
muito mais que escrita automática
quando sabe o que faz
sim, ele expressa que tentou
que mesmo no fim vai chegar lá
beber mais uma vez na fonte
se mostrar ferido na linha de chegada
experimentar o milagre que acontece no limite
vai tomar de volta o caminho pelo qual errou
e converter isso.


Ele entende a criação
Vai lento dessa vez.
Sabe que há um prêmio
 para quem corre sozinho
escuta: continua, está bonito
escuta o silêncio, e faz as pazes com o coração
dentro dele há a potência de um furacão
e ele quer conseguir por si mesmo

18/02/2005

... os dias passam lentos...
a pomba-gira o faz rodar sem sair do lugar
tem jeito de ela ser tirada
pois o demônio não sabe o comportamento da luz
está escondido e impotente perante ela
e o limite entre o céu e inferno se torna mais visível
e eu vou te contar tudo
prefiro que seja em silêncio
no silêncio que vem do alto
e as palavras todas repetidas
até que se encontre o encaixe certo
o par de cada uma.

E o vento vem sopra
E tudo que não é bem , se acaba em inferno
E o desejo consoante, que aplaca, acalma
Espera imutável, para se satisfazer
Recuperar... não retrocede.

 
19/02/2005

de tanto que se caminhou
o futuro está ainda por vir
e as palavras soarão tão bem
para nunca mais
e as expressões então...
o objetivo da inspiração
o começo que volta ao fim
de palavras irrisórias
o entrave que se torna perfeito




Duas paginas de frente e verso não conterão a mão inocente
Digo que o tempo vai estar presente
Na profecia que o próprio profeta não entende
Falo sobre ratos andando a noite pela cidade
E as linhas não serão mais poucas
A melodia vai se adaptar
Em linhas infindas que se transformam pela essência
Na transcendência , o limite que se move
Vou escrever , também ler os livros a mim apresentados
E em conjunto faremos a enciclopédia do saber
Que se essência , diminui e se retrai
Lembrando também dos outros , vou restaurar
O esqueleto consumido do meu ser
Estamos aqui por eles que estão lá
A espera do nosso olhar

Vejo pequenos rinocerontes, lindos a brincar.
Dita poesia , deste amor declarado!
Pichado , a tinta do spray no muro cinza

11/02/2005

o passeio pela minha imaginação .
podes descrever a sua...
até pela pupila dos seus olhos.
Pela completa união .
Então danço, e dançamos por longos corredores.
Um dueto do mais belo e lindo sentimento.
Manifestado em atos, palavras e pensamentos, sem omissões
O abstrato que falará do concreto.
Todos paradoxos, todas as afeiçoes
Serão e não serão poucas.

13/03/2005



algo legal , uma idéia
toda uma poesia
com palavras bonitas para que sejam lidas

a arte é infinita
se isto é arte
que seja original
reflita a vitória que vem
em meio as hecatombes
para achar que a vida vale a pena
lutar com o exército dos bons , que é o vencedor

aqui um pedido expresso
um verso, só para inspirar-nos

14/03/2005

o que vem as vezes se perde em um impulso de força contrário
e assim parece-se já não haver muito o que dizer

o espírito vibra com certo ardor, impulsiono
mas seria fraco não falar do Amor
como se fossemos duas vidas em uma
----------------------------------------------------------------
e um momento distante distinto
distante distinto
tornam velhas e obsoletas todas as tentativas
e todas as palavras
e a rainha do sul ordena aos seus ventos :
soprem soprem
lindo desatino
estranho interino
so para rimar
e o que se cria aos tais
se mede mais do que com palavras
se ...
saltam os raios
soltam as cores vdgdsbfhk

E o beijo que vem pelo ar
De milhas de distância
Com a sinceridade desta minha constância

24/02/2005

possam os poetas do passado
não necessariamente os que escreviam poesias
os que as sussurravam para quem as ouviam,
os que padecem no purgatório
de todo um refrão cantado pelo universo
destas palavras que não se encaixam mais
de todo um perder
deste fim que uns conhecem e silenciam
entram e saem dia após dia,
nos ajudar.
Sim, pela verdade a unidade venha do céu
E cantaremos todos juntos com as mãos levantadas
.
e quem já experimentou a dor...
a aflição dos espíritos
deseja a salvação
 
desce-se pelo vasto corredor do universo
é permitido o plágio de palavras
pois foram dadas gratuitamente

o preço ?
porque ninguém ganha o céu gratuitamente
mas quem entende que há felicidade apenas em dar
este dá tudo, e também toda sua miséria
compreende o Tao-te-king
não teme os inimigos, antes os ama.
Entende que a vida está em si
Compreende que somos mais do que esta carcaça
E doa
Não deseja a morte
Aceita o fardo
Invoca , invoca. Dia, noite.
Até ter visões a meia-noite.

Doçura que se esconde
Silêncio respeitoso em torno do nosso amor

O que não tem medo de amar
O que acredita no amor sem saber

E todos que me perseguem
Não sabem o destino para o qual estão voltados
Luta cruenta.

Escolho o amor
Peço sem saber
Não nego meu destino

Corações, corações.
Chegou a minha vez

Nesta viagem árida
Que o deserto se converta em flor

26/02/2005

palavras que nada tocam
são mais som do que essência
mais o que do que ?

escrever poesias um dia foi algo que tive
as vezes não gosto do que fica escrito no papel
agora tento preencher uma página para olhar
e ver no que deu...
com certeza estes versos (  ) não refletem a luz que está em mim
a última poesia de um poeta ?
 
procuro mais uma página, a última
nos versos de minha inspiração
na fonte dela própria.

O fim a frente, quase tão perto a libertação
Quando o destino é escolhido a cada batimento
O que a alma dá como resposta
Bem chegamos.
A porta aberta e todas as possibilidades
Me encerro agora
Seria a última mesmo ?
Talvez menos: serão estas as folhas que cobrirão o chão?
Muito devagar o ritmo.
Os anos a frente, o que eles reservam ?
E a salvação, ainda por vir ?
Ah, a pergunta... se eu tivesse a pedra do saber...
Mais uma linha, e não sei mais quantos serão
Mais um toque : mais um perdão...
Mais tinta caindo no serão...
Que é orvalho da manhã acabada
E ainda onde mais longe chegamos é representado por uma palavra: amor ...
Que cuida, que não destrói
Nele onde tudo se transforma
Até o lixão.
Mais um pouco já que chegamos até aqui
Mais um descuido do mal

25/11/2005

2

e poderão nos corrigir
digo, de mim mesmo,
que vejo no espelho do tempo, também...
quando estiver no amor saberei que sou santo
e poderei dizer de mim mesmo,
para quem quiser escutar... a verdade.
Tão bela que se multiplica no infinito

Não serão mais linhas poucas.
Serão dias infindáveis, quando a nuvem não esconde o sol
E a secura não impede o arco-íris

Estrelas vistas de dia, o furacão e a bonança
Porque antes da tempestade há uma calmaria
E se encontra no tempo junto com a bonança

A própria rede que se lança num mar celeste
Passa através de tudo em comunhão
Até que a gota de água lapide o diamante
( do tempo esquecido )
e vamos chorar lágrimas de alegria
que secam antes de tocar o chão

e ver a máquina de escrever se aposentar
 ----------------------------------
14/03/2005 ( linha 9 )

a gente ajunta lentamente
sabe que pode ser a qualquer momento
a gente espera o que a gente crê.
E ás vezes não consegue explicar este milagre
Deste amor que nos guarda
Guarda o menor dos pensamentos
E não sabemos exatamente o que é o inferno
Não sabemos explicar.
Apenas que há o sofrimento.
Meu código : mais uma página.
A gente dança , canta e o mundão lá fora...
E ainda muitas palavras seriam poucas.
Mas são ainda bilhetes de despedida.
Para dançarmos , sabermos.
O que a gente espera...
Essa união da humanidade.
O casamento dela
Não se explica mais, muito mais.
E eu daqui vou... mais uma página.
Meio sem palavras.

Procuro fazer algo bom.
São palavras apenas.
O que está no coração vai muito mais além.
Palavras repetidas,
Que nem eu consigo interpretar.
Vêm como marolas.
Tentando destrinchar o segredo.
Do próximo instante.
Fugir do mal, fazer o bem. O que se resume nisto ?
Não são mais poesias e poemas
É um amor declarado
De um jornal do dia-a-dia

Coisas desconhecidas, inefáveis
Por isso tudo tento ir sempre onde está o sofrimento, pois já estive nele...
Tento , clamo.
Se você vê um sábio andando por aí , me fale onde ele está.
Se não me tornar eu mesmo um, falarei com ele
Gostaria de ter uma explicação vinda dos grandes .

Se a fonte de toda riqueza é a mesma ?!
Vamos até ela , beber...
Fazer a poesia elétrica ressurgir mais uma vez.
O código para todas as saídas nós já o temos, mesmo quem não sabe ...
É o coração...
Quem negou a condição humana... de ter um coração
Não vai ficar por aqui, onde as batalhas foram travadas.
Poeta da eternidade, poesia sem fim do tempo
O que o coração fica repetindo até entendermos.
A poesia que vai debater até encontrar tudo...
Porque isto é o que quero , nada menos que tudo...
Seria isto então a salvação. Passagens por todos os portais do universo.
Porque a vida é gratuita.
E no fim isto será provado.
A linha de frente do exército do bem, escondida e em silêncio, serena e estática.

20/04/2005

poesia

do mais fundo de  um mar estranho.
Surgem sentimentos de serenidade, quando está-se lá
Como em filmes, deles apenas algumas cenas.
(agora quase em ruínas) Todas as rimas; onde todas as rimas,
 Dessas que vêm das antigas, podem fazer sentido
Dos poetas que sabem, sem se implorar, mas fazer o próprio implorar
De si ceder sem se precisar pedir

Onde surgem novos templos, de finos desalentos
Destruindo cadeias para dos malditos seres diminuir a pena.
Quando há pouco,
Tenta o poeta desfazer seu esteriótipo, tornar à origem
(sina do ser humano que em si tem a própria potencialidade de,
 até sem precisar clonar, produzir células tronco)
para refazer o caminho até aquelas ruínas.

Desmascarado o ser, consumado o mal
Em tal hora vem o perdão
E o poeta admite que a rima induzida não é própria da poesia.
Toma então a desculpa,
Pela qual todo nome tem seu contrário, menos um.
Ama.
Entra-se agora na teologia
Que bloqueia-se, com exceção para os santos,
No não saber-se o segredo do amor

Para a viagem até aqui ter valido a pena (...) ...
Tomou-se o perder humano para converte-lo ( mistério,milagre, verdade )
Em vitória.

O poeta descansa...
Torna à fonte, satisfeito com uma obra sua.
Que desceu da árvore da etiologia nominal
21/04/2005

palavras ( título ? )

se toda alma num cárcere anda presa
destroçadas serão as grades dessa prisão.

Vou dizer tudo que sei sobre palavras
Neste momento elas estão, a mim , meio sem sentido
As busco sem conseguir encontrá-las.

O que são ? onde estamos que as palavras não tocam este lugar ?
Sob um céu lindo ?
Devemos contempla-lo , não como uma tela estática;
Achando a rima com a primeira sílaba.
São muito grandes os dicionários.
 
Quando... ... onde se penetra na fusão do tempo/espaço
Seria isto o espírito ?
Palavras deste momento...
Piscamento da estrela cadente ...

... uma última pergunta: a busca do coração substitui todo o resto ?
sim !
de outra forma: é o amor ?
sim !
é vê-lo, escuta-lo, senti-lo,toca-lo...
no coração...
imagine a delicadeza da flor, a força do raio,
a estabilidade da rocha, um leão andando e o mar grande ... dentro do coração.

É isto e muito mais.

O sentir como resultado, assim essencializado,
Considere o uso do sim e do não, suas combinações.
São eles contrários ? um destrói o outro ?
Não tenha medo.
Escave tesouros.
Deixe fluir esta luz.
Uma hora engatilha-se a seta do desejo
Certeiramente o alvo é atingido
Saiba, “ é ” o que você sente no peito.

22/04/2005

algo apenas para testar a habilidade
versos de um refrão
porque ? porque tudo é uma coisa só
e seria uma coisa só , tudo ?
esse mistério do avesso mexe comigo.
Estranho... um limite se revela.
Mas que importa mais ?
Preciso dizer para que disse isto.
Isto é o que posso dizer.
Lanço a chamada, mais uma página
E o sofrimento não impede a alegria
Do fim do dia , que termina em outro.

23/04/2005

destricho nomes indomáveis
e por onde eles vêm.... desejo adentrar
são tantos...
ando por sendas invisíveis
observando tudo para poder contar o que vi, depois
 
almejo o sentimento que toca a isto tudo.
Porque para que se o coração for a mente acompanha,
E todo o ser, mesmo estando este como uma carroça velha
Com boa performance.

Hoje os nomes serão necessários
Lutam para vir como peixes na piracema.

Nada ainda, resta o desafio.
Para podermos andar por aí, com o dever cumprido

Vem. Agora estamos sós
Posso ver-te , não estou só
Até aqui a força da montanha me ergueu
Como um pico no céu, soberano
 
Você, meu inimigo...
Veio se arrastando e foi cuspido.
Não tens vida própria
És apenas meu inimigo, sozinho
Seus companheiros lhe deixaram
Agora sou eu contra ti
E digo: sairás por vontade própria
Depois de estar submetido
Isto lhe convém.

Seremos amigos nesta multidão contrária
Somos únicos; por enquanto...
Vou ,sozinho, por um momento, estar
Como a semente que caí da árvore para germinar
Aí veremos...

24/04/2005

o poeta

digo agora que repito
todas as transposições
todas as letras embaralhadas
para o jogador jogar.
O jogo... desses significados, muito manjados
Cabulosos encabulados.
Dessas expressões queridas
Tão sofridas...
E tudo mais que não quis-se dizer
Por respeito ao anonimato.
Querido , sofrido.

... e o poeta cresceu, tornou-se homem
envia mensagens através dos quatro ventos
para achar a rima exata
e a poetiza perfeita, para um duelo

chora e ri, sem medo de ser censurado.
Joga pesado, joga limpo.
Escreve toda a história num papel
Monta sua casa ao redor dele
É chamado, por todos, de poeta
Mas sabe que poetas...
Não são necessariamente os que escrevem poesias
Mas quem leva as coisas ao seu último fim
Poetas são...
Sentam-se para escrever histórias e combater o mal
Riem,  vão por aí. 10 a 1000, 1000 a 10 , 500 a 500
E alternam a velocidade
Poetas do “ haver “

#####################################################

25/04/2005

coisas que vem a ser
sempre , por enquanto, neste entendimento humano
a rima, a repetição;
a luta entre o sim e o não
expressões bonitas, até fluir
e limitar-se em proporção do infinito
o grito, cinqüenta por cento na barreira do som
porque pode-se fazer mesmo sem saber
a luta dos amantes
são mais uns versos que imploram sentimentos bons
e idéias extravagantes
só para exercitar

chuva fina , e aqui fazemos a ponte
entre o passado e o futuro
lindo alguro

para que repito tanto ?
de fato já não há mais nada novo

há  quem não sei eu o fim
mas se esboçam na minha mente palavras
sem vir a superfície, um vulcão adormecido
de fogo bom, lava boa
e o destino vai se traçar
oh deixe estar mais um pouco,
 neste repetir posso até parecer estranho

venham vocês todos, escutem eu contar
vamos todos contar
como os velhos contam as estórias
histórias ao luar
merecem ser contadas
calma, haja paciência
até o coração voltar...

26/04/2005

a humanidade espera por uma decisão
tudo pode acontecer
disso tudo depende
e a escolha está nas mãos
lê-se um livro antes de executá-la
os amigos... a espreita.
Sabe-se o que é melhor

Que fazer ? eis a pergunta
E agora o que ?

Transparecerá a verdade
E com base nela , apenas nela, se decidirá
Será suscitada a lembrança do passado....
Irá decidir-se o futuro, no presente momento
Que de tempos em tempos grita sim

Pura essência de liberdade se manifesta
&&&&&&&&&&&&&

posso prometer muito, mais mesmo que os traidores

há a pesquisa para encontrar solução para o paradoxo:
como posso ser e estar no coração, tendo “ coisas “ na cabeça ?

30/04/2005

olho as datas nos calendários, paredes e cabeçalhos
são extras o que temos aqui
nem tanto bonitos

continuamos desfiando nossa literatura, nosso dizer
é mesmo exercício por enquanto
uma matemática poética do quantum
vamos que podemos chegar lá
não sei, não sabemos onde
algum lugar talvez inexistente por enquanto
repetições... oito, sete vezes
escondem significados
continua-se sem cessar
mesmo que seja só para olhar, como tudo fica alinhado
mesmo uma cópia apenas... para o autor
para provar qualquer fato
depois tentar outra coisa
que seja antes do fim
senão a busca não cessará
reverta-se tudo, acredito
será feito conforme foi dito ?
sim... a engrenagem secreta pode voltar a funcionar
uma peça, um tranco.
Se torna esta poesia indecisa
Até se soltar

No mundo indeciso, o pensamento a frente do que decido

Oh, mal... para que estás aqui ?
Qual é seu objetivo ?
Vens no meu encalço não como parte de mim
Não te aceito, um de nós terá que sair
Vejo um pingo, uma gota de água cair em uma flor
Num jarro, uma margarida ?
Isto a alimenta, sou aquele que observa e descreve.
Sem medo
Em frente... por inteiro
Porém vou,  fazer mais um  pouco do que se faz para estantes
Comuns.
Na próxima linha esgoto mais um caderno
Patos de minas , 2005, aqui perto
Em reverência um esboço
Do inefável, de sensações arredias e palavras notáveis

28/10/2004

a cura está em outro caminho
até esse ponto ... nada
será que alguém nasceu pronto?
Lembram-se de suas origens ?
Compreendem ?
Que nossos corações vivam todas as bem aventuranças
Luz...
Quantos perdões esquecidos ? quantos ainda a serem concedidos ?
A aurora não tarda.

Perante os sonhos realizados, que vemos no futuro
Ante as grandes realizações, não me espanto mais
Nem me admiram
Pois quero evitar a tragédia passada ( que já aconteceu )
E recuperar tudo o que foi perdido
Viver! Viver !
Isto expressa meu sentimento , de tão...

CADERNO 2

Você ... deu-me um caderno e uma caneta
Foi generoso comigo, te escrevo esta poesia meu amigo
Quando for possível , vamos nos reencontrar
Nas voltas do mundo , nas voltas da vida
Desejo que você esteje feliz até lá

Pois bem ... precisando, releia isto
Possa , na inspiração do seu ato de irmão
Estas linhas teu coração tocar

Vamos sorrir e chorar
Misturar todo bom sentimento
Transladar nosso ser
E nossa alma arrebatar, ao céu
Onde vão todos os santos
E no oceano transbordar

São versos simples, companheiro, meu amigo, meu irmão.
Para o que dizer  “não” você sabe
Quanto ao resto ( tudo de bom ) mais uma rodada
Desejo que o reencontro nosso, e também o encontro
Nos busque em nossos esconderijos
Desejo o amor, a fé e a esperança para você e os seus. Força!

______
 
               04/05/2005

deixe-me dizer palavras abstratas
de um amor concreto, de substância que esta no coração
de cada homem , de cada mulher
somos todos humanos, somos a humanidade
entre ela toda, te peço de novo, te escolho, quer ser meu par ?
falo sobre um reencontro
sempre acontece, de tempos em tempos para todos nós

falo sobre uma canção para juntos cantarmos
estarmos juntos onde o amor nos levará

vem ? um par, uma dança, mais uma vez

deixe-me dizer mais, ao pé do ouvido
e escutar seu coração
te vejo nos sonhos quando distantes um do outro estamos
podemos mais. Podemos sonhar e realizar
até o fim ? depois também ?

palavras abstratas, difíceis de associar
o coração fala quanto podemos escutar
quando nos vermos cante uma música, peço
tentarei retrucar, como em um repente do nordeste

05/05/2005

- quem são aqueles naquela estante ?
- Cristo, Maria, Buda, Krishna...
- Porque estão ali ?
- Eles nos ajudam, somos uma família com eles.
- E os outros , quem são ? quem são eles ?
- Quem são eles?! Não importa muito...

E o poeta voa com o colibri
Ouviu este nome na infância, é  de uma ave,
Não me lembro se já vi um
Me parece que são parentes dos beijas-flor
Imagino que voa com esbeltez
Pode trazer para nós mensagens de paz

- sabe ... você sou eu... somos uma só pessoa. Vim do futuro para te ajudar. Mas não podemos ter a mesma memória. Como se o homem velho não pudesse se lembrar do novo, e este não sabe quem é o velho. Até que o sonha se concretize. Aí saberemos!
- Mas porque você não fez tudo dar certo na minha vida ? ( pergunta o garoto de 16 ou 17 anos )
- Era preciso que assim fosse, somos todos homens. Mas agora somos livre e estaremos juntos para sempre. Sempre que quiser vou te olhar e você a mim e os outros, nós dois ao mesmo tempo. Parece divertido, não ? somos um dos vencedores
Do apocalipse!
- Há tanta história, não poderíamos ter escrito todas.
- Sim , mas todas são vistas.
- E então ? vamos mais adiante ?
- -------------------------------
- @@@@@@@@@@@
-
 
e o poeta continua, incógnito em sua viagem
assim foi da vontade de Deus
vai tranqüilo sentar-se para escrever
alguns sabem quem ele é...
ele sabe quem são todos, os seus irmãos e irmãs
não é melhor que ninguém , Deus é
e se curva perante Ele em profunda reverência
escrever é apenas seu trabalho
como todos os outros, “trabalha com alegria”
esperando a hora em que a batalha do armagedom será travada
rezando para descobrir se é da vontade de Deus que ele pare de escrever
e empunhe sua espada
 como todos os outros da Família Celeste
cada um em seu trabalho, estende o limite do céu na direção da terra
trabalhando pela salvação eterna dos filhos de Maria, todos eles,
mesmo os que não têm consciência disso, mas também trabalham
em nome de Deus

oh! Santo ,Santo , Santo Senhor Deus do universo, como são irrepreensíveis,
lindas, belas , maravilhosas, vossas obras... todas perfeitas.
Aqui na nossa existência cabem gritos , lágrimas e suspiros de felicidade.
A transparência da vossa santidade.
Os doidões

São um tipo peculiar
Que tem os cabelos soltos
Purificados de uma geração cambaleante
Soltos ao céu, no céu do espaço sideral
Estão presos as vezes
No entanto sentem o girar da terra

Vão por montes abstratos
E gostam de repetir certos nomes

Filhos de suas mães, reverentes a Mãe maior
São de suas paixões boas e não más
Alguns se vestem de branco por dentro
E preto por fora
Conheço muitos deles, e no céu todos têm um pouco deles
De fato têm , quando o sorriso simétrico se expugna.

Filhos de uma geração livre
Livres somos todos

E o doidão nunca para
Apenas para descansar,
Pensando o que vai fazer
E faz o ar não rimar mais com outro ar

E aqui e sempre quero que isto seja vivo
Com expressão para doar
Na fórmula do ar do bem

06/05/2005

oração em público

nossas palavras a vós dirigidas
a Deus , a Virgem , a São Miguel,São Gabriel e São Rafael
e vós todos: anjos, santos, patriarcas, mártires, profetas, deuses e deusas
filhos do Altíssimo, que são Um com Ele.
Não nos enganemos, alguns de nós vão de encontro ao sofrimento árduo
Quando seremos provados
Pedimos: exaltai a nossa frente os que sofrem em silêncio
Os que foram mais humildes e a imitação de Jesus Cristo
Vieram sem serem reconhecidos
Os que sofrem sofrimentos de paralizar
Em silêncio... sem ninguém ver ou saber
Rompais nossa parte, nossa, no pecado, com Satanás e os demônios
Daí-nos a alegria, que possamos também conseguir por nossas reparações
E assim não será mais representação da mentira
Mas esquecimento de tudo que não tem parte com o amor que vem de Deus
Façamos isto, se é da vossa vontade.

Sim... não consigo mais , agora , dizer de outra forma.
Seja em termos religiosos, até precisarmos as palavras
Desta nossa geração
O milagre pode ser explicado ? nunca, não neste mundo, não aqui para nós.
O milagre acontece porque precisamos
No entanto há as palavras
Ditas de coro em verso, somos populares
E eu clamo para que volte em minhas palavras a poesia elétrica
Purificada no seu tom mais forte

Rezo para que, milagrosamente,
Porque o milagre veio afrontando o pecado,
De alguma forma que não consigo dizer,
Como as fontes nascem no alto das montanhas,
As palavras me venham novamente

E a mentira ? não tenho medo dela
Ela não tem espaço na verdade
Agora existe apenas mais uma vibração
Destilo minhas palavras,
O que sai da minha boca é o que pode me tornar impuro

A verdade ? Ela é.
Meus erros de teologia ? passos distantes

A fonte retorno pois de fato perdi.
Que tudo possa agora ser mudado
Pois se eu o disser com fé , o milagre pode acontecer
E o tempo ?  estranho
Na minha loucura de papel vou andando
É o que tenho,
Tudo virá...
De resto,espero o amor
Já escrevo sem refrear

Permitam-me meus mestres
Dizer estas palavras soltas
Desejo que sejam de coração,
Não apenas para provar algo
Possam... possam ser.

Antes que a bagagem de vida envelheça.
Isto a tornaria obsoleta ?

Não seja o pensamento bruto o que escrevo
O reflita.
Estamos aqui faz tempo
Onde está o “homem velho” e o “menino novo” ?
Estamos  a caminho do encontro
Meu grito estremece o ambiente estático onde estou
E falo sobre mim mesmo para me libertar
Mas gosto de falar também quando vejo um beija-flor no ar
Vamos lá .... podemos mais ....
Isto é pouco ? o que tem-se ?
Desejo que meu amor apague meus pecados
Foram grandes!
Desejo que o sofrimento venha a consumir suas vibrações
O que emanou deles.
Fui humilhado.
Deus... meu Jesus... está aqui ainda

Porque ? por bondade ?
Sim

E os demônios terão seu fim, seu esquecimento, seu inferno

Pai, escute meu choro...
Pedi-vos tudo.
Voltarei onde estão os outros, meus ...
Não seja isto um pedido de clemência ao inimigo
Seja antes o último mover...
Acredito no milagre, no inesperado milagre
“hoje tu terás vitória, sorria e abra o seu coração “( alguém cantarola, 18:00 hs ) foi o Breno

o fúria dos ventos tempestuosos vem moldar as ruínas
bases de um novo templo , de tempos de glória.
E o medo, nunca mais!

%%%%%%%%%%%%%%%%%

grato estou por ter meus pecados perdoados
visto que me arrependi
o Pai é bom , “se compraz mais em perdoar”

o vulto de certos rastas, dançando, na parede
me trazem a memória os tambores dos livres negros africanos
ao sol da liberdade tiveram suas peles escurecidas
são mais de mim do que do sol

irmão sol, irmã lua...

certo negro que conheço vive sua “lenda”
esbota sua pele entre a fumaça da cidade
nascido no Brasil!

-“cara, aqui têm muito verde”(diz ele )
vive e olha como uma criança crescida
planeja o ataque do leão da savana africana
descendente de raptados
traz em si a força , a mesma que arrebentou os grilhões de seus pais
que sairam sem escravizar os escravizadores

“é só o amor, é só o amor “
brinda a dor em sua taça
é feliz em todas as suas coisas

ao sul do céu de repente
estalam todas as correntes
só a gente se entende
como as criancinhas

estive parado no tempo.
para voltar a me encontrar convosco...
tornei-me namorado da humanidade
você sabe, estou pensando em escrever-te algo
olhe dentro da minha pupila e veja tudo que já vi
toda a minha vida
vou enviar-te umas cartas minha namorada
oh carteiro, não se atrase, peço.
A mão não se cansa de escrever
Enquanto houver poesia.

07/05/2005

deixe, vá , coração. Exploda em luz, alegria.
Para todos os lados
Queria dizer-te a canção de um poeta
 Que descreve o sentimento
E o precisa em palavras
Deixe-me dizer :não me conformo
Deixe-me ordenar , na plenitude de certos versos:
Confronta o que vem de errado a mente,
Batalha a batalha do bem
Vai límpido pelo oceano, de vida.
Está, sozinha, esta palavra este nome.
Deixe-me conjecturar e dizer, vou mais adiante
Fazer “tudo com o coração”
Seja a nossa” alegria completa “
Deixe estar , estar só , como por enquanto

Contrai os oceanos
Nas mentes. E o que digo é : uma luta , a de Deus.
Uma espada, empunhada pela liberdade
Deixe-me ser, mais um pouco neste inconter
Deixe a ponta da caneta entrar no domínio abstrato
Aí não sei...
Seguiremos adiante com a certeza de que
Há o que desejamos o passado instalado
Instalada a glória nele, estática
Como penhor para irmos adiante
E podermos lembrar de vez em quando
Deixe estar esta vibração,
Quando baseada no amor
Pode suportar toda a dor
Monta frente contra a injustiça
E sabe que a infelicidade dos irmãos
É sofrimento seu, tão seu...

Negamos o pecar

Tornamos nossas espadas contra Satanás e os demônios
E o olho do mal, que vai ser furado por uma espada

As lágrimas vêm, o inesperado acontece
Por que não sabemos tudo, e o que vem, venha
** * * * * * **

olho meus pés, os pés, os pés no chão
e a esperança de ser feliz
“hoje tu terás vitória, em nome de Jesus
 o plágio de todas as músicas
me faz entrar nesta rotativa de palavras
leituras bíblicas me lembram o coração
a imagem de todo perdão
escapole entre todas frentes frias
quem conhece o mar , pescador,
de todas as poesias tristes ?
“hoje tu terás vitória, em Nome de Jesus”

deixe-me ensinar... a mim mesmo
aprende o desprezo por se mesmo
e encontre o modo manual de dirigir
você pode sair andando do carro
e com as asas do beija-flor voar
e rebentar a poesia mística, para ver vingar
te conto o meta-pensamento
a poesia sem sair do lugar
escute estas linhas
que tudo vai voar
e florescerá a flor do sertão
de tantos nordestinos
vem , vou lhe contar
as poesias que não queimei
as deixei roubar
o livro vale ouro ?
a árvore vale o papel ?
conto os segundos

temos um monte de colunas
uma ao lado da outra
sem pecado, o que as faria ruir
vem , que os inimigos não podem mais
é um choro isto tudo
como já disse o estampido de um broto
ao cair no chão, vindo do topo de uma árvore seca
poderia ser melhor, agora desejo tanto amar para muito se perdoar
foi em vão ? o ponto , este ponto de interrogação
pode indicar agora uma pergunta ?
ou é tudo parte, partida, de minha imaginação?

O que há no coração pode não voar ?
Oh, deixe-me falar poesias tímidas sem idéias mais que banais
A rima poética do livramento
Talvez alguém queira saber quem sou...
Sou o incógnito poeta a procura da poetiza.
Não há mais o que afronto em mim
É um mar estranho, de erro , de coisas ruins
Você vai ver que este livro não é um livro
E uma pedra pode ser um pedaço de pau

“vamos, não há mais tempo”
procure uma agulha e uma linha
e discirna o sim e o não.
Agora tenho que escolher
Vou para o coração, é isto que importa
Minha saída,  fuga desta prisão
Você jamais viu um livro destes, e um botão.
O fim que torna ao começo
Vou agora apenas escrever
Pois que os sentinelas estão vigiando
Vejo o cosmo na minha mão
Não importa mais, só Deus agora.
E tudo o mais por adaptação.

Corvos moribundos cantam a canção do cemitério
Vejo a cruz na minha mão esquerda
Onde está a espada, não tem mais nada aqui
O fim tornou ao começo ?
Vou dar a solução...
Um desenho sem fim
Uma agonia sem dor
Um sim sem um não
Acabou-se
Forma-se um novo exército, dos que experimentaram a derrota
São também filhos de Deus
Decifre o enigma do universo através deste ponto
Deixe-me chorar nos seus ombros
Até a vitória chegar

08/05/2005

e então ?
enquanto o choro for forçado não vale
é sinal de que há ainda o que fazer
cuidado, através do que você delira, podem vir piratas
a atacar seu subconsciente
deixe estar, deixe viver, deixe sofrer
sempre a amar
e poderá voltar para suas histórias da infância
a batalha está difícil e o perigo escondido
ante isto siga a inspiração que vem ao centro do seu ser , o coração
há , de tempos em tempos , uma reapresentação das coisas
“nada de novo debaixo do sol “
pergunte aos velhos, os anciãos
eles sabem a história toda
a verdade está escrita em cada instante infinito do universo
vamos vê-la

decidi encarar o sentimento verdadeiro
mesmo que sofrido
a que alimentar a mentirosa vaidade
o Senhor do impossíveis, como assim O chamo
pegou o mais pecador,
posto que entre os que são salvos, até hoje,
não há quem tenha mais pecados que eu
tirou-lhe de sua desgraça total
conjurado foi a ser um apóstolo
quando dei-me por conta de que muitos foram antes de mim
e eu, como o último da humanidade, percebi o milagre
cinco anjos de luz me guiaram
dancei a suas frentes
intocável fui abandonado
como areia (...)
e as areias do Saara se tornarão brancas

fui enterrado como semente em adubo, podre...
conjurado por meu tio santo a seguir meu ministério
em resposta ao grito de sofrimento
possa eu não negar o milagre
mas sim destile a pureza que me fez filho dele
rebento da história do mundo
da estirpe de Davi
agora possuo a cruz e a espada
a profecia vai e já se realizou
agora o tempo da luz se refletir nos elementos
e descortinar-se o palco : a vida real.
+++++++++++++++++++++++++++

08/05/2005

Santo Santo Santo Senhor Deus do universo , o céu e a terra proclamam a vossa glória, hosana nas alturas , bendito o que vem em Nome do Senhor hosana nas alturas

E agora o que ?

Súbito despertar
Vê-se arraias que nadam no mar
Oh vem , mais uma vez
Que as palavras são poucas
O tinir dos metais
Corroem a essência perdida
O que se explora do pobre
É alegria para ele
Se for pobre mesmo.
Andas pelo mundo, as colinas suas amigas
Verde estampado no véu do mundo
Agora vamos todos ver
Se mostra na flor a honra da natureza
Este é seu sofrimento
Onde faltam palavras mesmo
Clamas pela mãe natureza
Para veres que nela nada se perde...
Vocês ( seres animados e inanimados )
Tentas apresentar em palavras
 contas isso para disfarçar
Ves a poesia crescendo
E as folhas sendo preenchidas
O “tudo é uma coisa só “ te ajuda
Sentes segurança pensando assim
Os portais da vida vão abrindo-se
E tu descreves, contas o que sabes
Então... e agora o que ?
Vais escrevendo só para poder olhar
Os passarinhos trazem mensagens nos seus cantos
Ta legal , vamos em frente.

09/05/2005

apenas a verdade
o que podes escrever ?
registrar para olhar depois
só para exercitar
enjoar da repetição e por isso renovar
quando vêm um impulso pode -se perde-lo
por causa da influência contrária
então partilhas sua dificuldade
vais tentando e conseguindo
desferir golpes, o que agora podes escrever
se não ao passo do papel tímido
porque o tempo é o da redenção
e a parte o fim
escreves de próprio punho
sem saber
código para mais uma página
e desfilam idéias em sua mente
a busca do coração
podes apenas escrever
como alguém que tem sua rotina
até quebrá-la
vamos em frente que chegaremos lá
vamos nós todos, todos juntos
tu admites , os versos de agora
não são grandiosos
então como deves enfileirar as palavras ?
água mole em pedra dura tanto bate até que fura
estão vendo ? está tudo bem!
Calma acabou-se a dor
O amor já vem


Graduação graduações merecem palavras de descanso
Na casa de mais um degrau
A graduação , sim, simbólica
Um símbolo de mais um perdão
Te espero, que venhas, quero
Seja de coração
Mais que rapidamente,achar o curso em percurssão
Ou seja desejar as coisas celestes
Ir em silêncio e escondido
Hoje o verbo ir tem sua missão
Versos bem poucos para achar o coração
Linda e bela , do seu coração
 Espere mais um pouco, espere fazendo
As pessoas todas vão se olhar
Vá junto e seja esperada
Deixe a vida girar em sua órbita , mais uma vez
Indecifrável , por enquanto, por enquanto
Pedes que não desanime
Nem tenha medo, medo de nada
Corramos
Pode ser em qualquer lugar, em qualquer um pode acontecer
Para os que desfrutam a paz deixada como legado ao mundo
Podemos enxerga-la , na estabilidade de tudo que foi criado
Reze a Santa Clara, a São Francisco de Assis ( rogai por nós )
Ande com os que sabem amar para ver como é
Todos nós amamos


Vejo o futuro , aos olhos sinceros
Vejo o coração  abatido
Espero mais um grito
É pedida a confirmação do sim
O resto os pássaros cantarão
Há uma escada para os céus
Lá em cima os anjos e os santos dizendo : vêm !
estamos aqui, aqui juntos até o fim
E, se Deus quiser, agora e depois
$$$$$$$$$$$$$$$$$$
que mais há ? resta agora o inesperado
resta a pergunta o ponto de interrogação
resta a resposta de nenhuma divisão
o que foi escrito, escrito está
também no passado
mais um pouco adiante
a frente, agora, pois o amor basta a si mesmo
digamos : façamos a vossa vontade, Pai
digamos com o coração “palavras da alma”
e o dia termina , a noite chega
façamos com o coração
até não dormirmos maiss
sonhemos sonhos bons à noite
e de dia realizemos
pronto ,missão cumprida
mais uns versos

11/05/2005

sorrateira vem certa suavidade
canta entre as plumas do silêncio
é preciso coragem para estes versos
que a gente tenta é verdade, a verdade
em vez de queima-los vou enterra-los
se não forem a público
e espera o dia por mim
mansa chega a noite
e fluo entre o existir do universo
mana o fluxo do que está inacessível
novamente palavras imprecisas e repetidas
mas é tolerado este treino
dado com o acordar
para o que se dá agora, a perda

todos estão aqui
todos no grau de vida que vivem
escarafunchadores catam os papéis
e se faz deles a poesia
porque não se pode atrapalhar a economia da salvação
apenas para mais
instaura-se o céu,  ele não pode ser visto
pelos inimigos que nos vigiam
pedes a si mesmo que espere
tudo girar mais uma vez
 
me confronto com o papel e caneta
reza a poesia a céu aberto
lida e escrita por poetas e poetisas
dirijo minha atenção para outra coisa
a brisa agora a me tocar
com seus graus de intensidade
esforço-me para não fugir
honra que há quando o perdão é deliberado
ele mesmo chora ao se consolar
na dívida perdoada, alegria...

plágio : reparem eu me apresentar
sou um homem de riqueza e gosto
estive por aí durante longos, longos anos
recuperando a alma e a fé de muitos
porque ouvi que Jesus Cristo fez  o ato sublime do amor
prazer em conhecer-lhes...

algo que não me agrada escrever
vou perder uma batalha,
o motivo exato disto não sei
será contra um dos fortes
um dos guerreiros da luz
sou um deles também
agora posso , podemos , seguir adiante
desfaça o medo, encontre perfeição
mantém os espíritos em perfeita harmonia

a divindade: o poder de inferiorizar e superiorizar
a essência do amor

o meu caso...  foi pecado , foi erro;
agora ... só o amor
o poder ( divino ) de trazer algo a existência ou nega-lo

para o mais , saio da cama para escrever
A quem interessar possa
Esqueço ao primeiros versos
Tenho que mandar uns bilhetes, para uma garota e para um amigo
Perguntar-lhe se posso entrar em sua sala, está frio onde estou
Neste bololô da existência preciso antes do perdão
Para poder andar livre
Estas colunas já não pertencem-me
São da vida, como os arrependidos
Espero o dia da luta face a face contra o pecado
Larguei meus sonhos, agora solto, discorro

Querida terapeuta,||||||||||||||||||||||||||||||||
Rogo a Deus que lhe mostre a verdade sobre mim
Peço apenas que leia isto
Estou muito sozinho na busca
Meu companheiro é Deus, a Virgem
e os que estão com eles em verdade
não tenho muito o que acrescentar
mas se você quer que eu diga, eu digo... sexo.
( riso , mexer de sombrancelhas )
peço que não necessariamente meus pedidos sejam atendidos
mas que a verdade refloresça
ah ... posso me mostrar apaixonado por muitas pessoas
mas por você em especial.
Face a face seria melhor
Antes que tudo seja esquecido
E você teria me curado ! guerreira da luz!
Com pesar digo isto, que sou um também
O menor deles.
Tem-se, agora, minha trajetória incerta com vocês
Vi seu espírito. Tão belo e verdadeiro como seu corpo

Não entendo porque uns me mandam ir para a esquerda
Mas aperto a mão de todos ao ir
Desejando encontrar com eles no ponto oposto
De uma trajetória, indos-nos na direção contrária
Disse-lhe que meu coração tem donas
Sou prometido, tenho duas outras partes ( alma gêmea )
Hoje é quarta feira
E espero o brilho das  manhãs vindouras
Vou escrever antes de dormir
Mando aquele beijo que não lhe dei antes de vir para cá
Você é bem maluquinha ( no bom sentido )
Tchau , você me inspirou

Peço,Deus,que a verdade trace a trajetória destes escritos

“ as coisas acontecem lentamente,
loucamente no amor do Pai “
“a cidade enlouquece lentamente
viciosamente sem prazer...
seus fantasmas seus enredos !
a maior expressão da angústia
pode ser a depressão, algo que você pressente.
Indefinível , mas não tente....
Pelo menos esta noite, não! Esta noite não! Esta noite não !
Obrigado por estes versos

O pensamento por trás do verso esta além
Por isto o poeta está sozinho
A quem interessar possa, que examine
E se aprovar peço que não deixe de dizer
Graças a Deus.

E vamos andando, por este confronto com minha realidade
Pela parte que com ela tenho com a verdade

“sim, você costumava rir sobre isto
todos os outros estavam pendurados
agora não falas tão alto
nem parece sentir orgulho
sobre mendigar por  aí , sua próxima refeição!
Como é isso ? como é isto ?
Estar por si só, sem direção de casa
Como completo desconhecido
... like a rolling stone” ( como uma pedra rolando )


o papel em branco
 como que sugere
mais rapidez.

12/05/2005

qualquer coisa , só para iniciar
qualquer palavra se qualquer lugar
não que eu tenha dito ultimamente

palavras sem nexo para conjecturar
escrever para depois interpretar
ver se ficou bonito , só para olhar
verdade que as rimas mais bonitas estão no sentido
antes que nas letras repetidas
agora todos nós sabemos
que qualquer escrito tem seu fim
sem conexo, sem repetiçãoé assim que escrevo
vamos, as palmas dar, das mãos
e comer juntos
agora que o fato todo está quase consumado
procuramos o que dizer
dita a rima, a própria palavra

há trabalhos espirituais e maldição contra mim
ouço os pássaros a cantar agora ao meu redor

letras grandes, letras pequenas
caligrafias que desvendam mais do que contém

danço, canto, brinco e vamos

não estou gostando
senão de uma ou outra frase
mas cheguei até aqui, esta terra
fui eu que quis vir
as vezes nem sei o significado do escrito
funciona como um porto
quando olhar tudo junto entenderei
e posso queimar um dos livros impressos
talvez seja magia assim, talvez não. Melhor não.
É preciso renovar de tempos em tempos
Também o poema, espero rezando


Durante os fatos relatados no apocalipse, os das hecatombes
A vida vai continuar, e no final a vitória
Todos os filhos de Deus salvos
E temos escolhas a fazer...
Vamos continuando, ainda.
São fatos místicos, para mim difíceis de descrever
Pois são de uma complexidade volátil
Entra-se na questão da negação
Vamos passar por ela
Mas não quero mudar um til no meu discurso
Se nos fosse explicada a profundidade da oração:
Santo Santo Santo... ,
Seria como ter uma chave mestra
Sua compreensão depende de viver
O que ela contém. Do ponto zero... difícil de explicar
^^^^^^^^^^^^^^^^

“algo bom pode acontecer”,
se deitarmos, pobres, nossas faces no chão de terra
a humildade perante o Criador
e dou-lhe um beijo no rosto
não sei como fazer a vontade de Deus.
Continuo intrínseco no meu caminho
A coluna levantada perante meu ser,
Grande demais para eu compreender
Eu só, perante a decisão do universo
Olho a imagem Sagrada Face do Santo Sudário na parede
Espero mais uma noite
Sinto o calor do amor a me aquecer
Fico inquieto por ter perdido, também minha saúde
Quero a razão precisa para “acalmar o espírito”
São linhas fáceis de se escrever
As prostitutas e as damas, ambas , em seu próprio perdão

Santos índios, rogai por nós a Maivotsinim
Espero o momento da verdade ,  “ohara”
A hora da verdade
Um dragão branco sou
Pequeno, saindo do fundo do lago
Para conectar em versos
Todas as lendas e a verdade
Desperto , derrotado , ansiando pela salvação eterna
Ela se dá quando tudo fica perfeito
Coisas de Deus...
Não desisto, antes imagino as palavras soando bem
Vocês todos conosco
A única verdade que conheço:
“Materializar o Cristo “
mas não tenho mais medo
me dissipo nas palavras
que ficaram poucas mesmo
enfileiro as colunas a tinta da caneta azul
pretendendo honrar a aliança
sou iluminado, digo com antecipação
corrôo o mal do universo
misturo as palavras , os nomes...
daqui não sei para onde vou
posso me consagrar ou andar por aí
nada mais fazendo sentido
a caneta escrevendo palavras abstratas
abstraídas da mente, da vida
vou dizer o que mais quero ,
encontrar, face a face, Jesus.
Conversar com Ele, tomar uma decisão baseada na verdade
O que tudo isto tem ?
Não tenho mais nada
Quero alcançar os sete Espíritos de Deus
Sim, a lesão no cérebro...
A derrota e o triângulo por perto
Será tudo pago até o último tostão
Sem bases, nem mais referências
Uma estrela cadente sumindo da vista
Vamos tornar a viver
Oh, não é mais de coração que escrevo
Agora o estampido da seta quebrada no ar

Vós que vedes minha desgraça
Estou aqui há muito tempo
Há tempo demais , não tenho dele todo memória
Que sei da verdade ?
Ou acerca do amor permanecente ?
Ou da “santidade que vem da verdade “ ?
Possa algum (?) racional ler isto e me ajudar.
Anjos me olham invisíveis...
E uma frase demora muito para vir
Sim... o que fui eu fazer ?
Peço tudo, tudo de bom...

Eles me olham quando escrevo
Os infernais
Que é isto tudo ?
Sem mais perguntas
Seja o til o acento do i
A loucura bate a porta
O tempo morto do passado
As coisas agora em vão
São instantes estes versos
Ruínas é que todas são
Mar aberto, sol seco, luz ofuscada
O que vejo , escrevo
A minha frente o caderno
Palavras que não entendo o porque delas
Quero escrever algo de que goste
E ache bonito
 
De volta ... concedido mais um perdão
Mais uma alegria, Santa Clara rogai por nós
Procuro o fio da meada
Palavras loucas das quais nem quero saber
“ você conhece a piada do macaco que tinha orelha ?”

escrevo tudo

descobri qual nota faltava na minha canção; o “si”

por ora estou sem o que  dizer
só indo a caneta a velocidade da luz

uma vibração em falso e tudo se perde
os anjos olham envergonhados para mim
quando dou um passo em falso
]
quando torno ao escrito
em um relance me reestabeleço

o Pai pode tudo e me vê
“... meu Pai Jesus Cristo ! “

no papel deixo presilhas, em forma de idéias, do meu ser
 
volta a alegria, volta tudo ao normal
vejo meus companheiros apontarem o caminho para Ele
vejo coisas que não consigo descrever
passo lento ao abstrato
onde vive a esperança
de um livro partido ao vento
suas páginas e seus impressos moldados pelo tempo
defrontando de novo a capa e a sobrecapa

poetisa me perdoe, voe...
esqueço, passo o tempo e o temo...
tem-se o tema que não se pode lacrar
vamos viver e decidir
))))))))))))))))))))))))))))))))))

antes, quase desistir
palavras sem sentido
que a vírgula pode savar
esquerda, direita; esquerda, direita
olho para frente para consagrar
o instante tema, o próprio desabafar
que estão as palavras vida
eu também, no altar
por isso vou começando de novo
a cada frase,
por isso o tempo pode parar
no prisma da “bondade  suprema “
e os dons todos do supremo
quando a poesia foi libertada
dos grilhões que prendem a alma
e vou girar mais uma vez
por um momento no ambiente onde estou
quer saber ? vou me esforçar:
meu ser acumulado de mal
não me deixa peneirar os nomes
por isso tanto repito
tiveram piedade de mim
e o mais pecador será elevado
verdade...
dissoluta a interioridade desta palavra
e se eu desistir? Aposto para ver ?
e um beijo , quem ?
e o sorriso abstrato me diz vem...

a potência adormecida de mil oceanos
esquecida, suas ondas a me chamar
para mais uma vez o tsunami , perdoar
e a poesia se tornará viva
na boca do povo
melhor, a viva poesia da boca do povo , ao livro tornar
outro livro, o coração
selar estas poesias
ir só pelo coração, agora
nem que seja no último momento
não terei mais o que escrever
mas, se eu conhecer o que se repete por mais...
mais uma linha até eu chatear a mim mesmo
por último em todo lugar
preciso ir, agora...
vou com o coração
escrever de olhos fechados
vou até te tocar com meu olhar
ainda há o fio da meada
o momento inevitável em que a semente voa
para seu lugar
morre não... morre não.
Solta da árvore
Agora a caneta a esperar
Venha o sofrimento, vou suportar
Verdade que não conheço

Um livro de trás para frente
E a loucura a me esperar,
Vou meditar, durante um dia

18/05/2005

há em mim , remanescendo, resquícios do que eu era

somos passados pelo que nos purifica
fazemos a vida , uma vez cultivada
ressurgir em toda sua potência
aqui o vento balança as folhas
fazendo-nos ouvir os desejos de Deus
conclamo todos nós, a sairmos da nosso inércia
este tempo virá
agora sem medo, escutando a voz de um santo escrevo
se me fosse ditado , as vezes é,
não perderia nada por isso
o calor do amor , leve no peito, sinto agora
não nos entranhemos pelos espinhos do mal
peço paciência e tudo virá

posto que em Deus , na sua comunhão
vivem os santos, perante os quais a porta do inferno faliu
e fazemos (!) o exchange do nada
o céu soberano “reina “ em plenitude
sim , digo sim.
Vou voltando até  completar mais um ciclo de um ano
?????????????????????????

777777777777777777777

- !??!... ...(...) (?) (!){[(.)]}
... em reverencia a tudo de bom que foi esquecido,
seja lembrado !



escolho o amor
e o amor escolhe por mim
tudo submetido a Ele
o amor pode converter um sim em um não
 ---

após ter experimentado tudo ,
 restou uma só pergunta
porque ? porque  Deus me restabeleceu ?
a resposta... talvez já soubesse
 mas não tinha consciência
já ouvira as pessoas falarem
por bondade, Deus é bom.


Meus companheiros...
Vamos na alegria da expectativa
Do reencontro. Entre lagrimas e risos.


19/05/2005

somos os doidões do mundo
somos loucos,
preferimos sermos chamados lunáticos
 
lembramos dos mártires
mataram o Cristo
e muitos foram atrás
o verdadeiro milagre da multiplicação
agora sim, o adversário treme de medo
até as bases.
Foram mortos mas na verdade nenhum morreu
Coragem pequenos ,
Porque o tempo é o da redenção
E a parte , o fim
“erguei-vos , porque a libertação está próxima”

não é tanto olhar o nosso pecado.
É antes amar e ir a Ele como nós estamos

É assim, os que foram assim foram promovidos
Ao status invisível
Não subiram,
Foram erguidos do chão
borrifado com o sangue inocente
Ao barro crescido da terra
Silenciam-se na paz
Por Deus e sua criação
Beijamos este chão
44444444444444
porque “se Deus é por nós , quem será contra nós ? “

eis a hora em que  a assembléia será convocada
considero tudo , retenho o que é bom,
e subjugo-o ao amor
com serenidade capaz de acalmar o oceano.


Luta , jogo , ginga

Os filhos negros de Deus
No tempo da escravidão
Eram proibidos de brincar
Iam trabalhar na lavoura
Longe dos carrascos
Um ficava na árvore a vigiar
E os negros no seu jogo a lutar
Quando o sinhô vinha
Já os via a dançar
Achava que estavam dançando
Mas eles estavam era gingando
E assim gingam até hoje

“ quando as portas da percepção estiverem abertas”
(então)
“veremos as coisas como elas realmente são “

apesar de tudo digo:
sem medo de ter medo de sentir medo
lembra com o coração, então , oh poeta.
Sim, porque tu eras um poeta no passado
Lembra no coração do amor que tu tinhas então
Tão grande que és incapaz de concebe-lo com a mente
Tão somente porque não podes assim lembrar
De quando eras uma criança


No seu aniversário

Pode a lua e o sol contarem os anos apenas por seu giro no céu ?
Pode o discurso de uma frase marcar o som de quando são pronunciadas?
Digo que não
Nem os números são de algum valor realmente
Se não contados em uma matemática divina

A luz do sol na terra da manhã
A lua azul no céu escuro
E o seu aniversário palpita por aqui...
Onde estão lembranças e memórias,
E esperanças do futuro
Sim. Havia uma estrela sobre você quando você nasceu
Não sabemos exatamente a que altura
Essas órbitas as vezes chamam a loucura

Cabelos brancos expulsam o medo, quando paro pra pensar
E quando paro, só o pulso a percorrer, sinto.
Somos mesmo almas em forma de estrelas e muito mais

E o tempo de um pulsar é o que precisamos,
Para, por uma chance  dada como dádiva,
Obtermos a vitória
É o tempo de uma chance a cada batida do coração
Te desejo milhões de chances.
De coração...
Pois nossos corações batem perto um do outro,
Pois que assim posso desejar
Muitas batidas de coração para você
Bonitas e belas
E desejo que você entre no segredo de cada batida
E da batida em particular
--
entenda quem puder perdoar

--
eras poeta... sempre serás
acelera tua vontade
a velocidade maior que a imaginação
você na sua mente
acelera sua vontade de amar,
ao ponto máximo
de forma a quebrar, o motor imaginário de sua imaginação
e abre as asas para voar

sim, eis a pergunta como amar sem limites ?
com asas o céu seria o limite
não mais o chão, seria a ressureição da poesia
--
vocês que vêm nas trevas a soprar
não podem
não querem aparecer a luz
meneio a cabeça para cima,
no vosso blefe retruquei
que vocês podem ?
pois jogo luz interiorizando minha própria mentalização
não podem mais me atazanar,
ainda não... vossa hora vai chegar.

21/05/2005

“e aí o amor pode acontecer,
de novo pra você, palpite... “

dissipa-se a névoa da inutilidade
escrevo para fazer as dias passarem
e passar eu por eles também
desço ao fundo do lago azul
na fonte límpida de sua água...
continuo mesmo neste labirinto...
a força em mim é maior
maior é Deus, também fisicamente
“ desfaz o vento, o que há por dentro
neste lugar que ninguém mais pisou
você está vendo o que está acontecendo
neste caderno* sei que ainda
estão os versos meus
tão seus que peço
os versos meus
tão seus que espero , resposta!”

sim a canção vem para seu lugar
acaba tudo falando de amor mesmo...
e canto junto uma canção só para contrariar-me
de tanto texto que escrevo

as ilhas do céu
não são nuvens não
no céu há o lugar do seu perdão
se você nos chamar
esta nota vai repetir e então... brilho fosco no ar
*é num caderno que escrevo

paixão desenfreada, contida em seu perdão
é tão lindo, findo , rindo.
( destilo então mais um verso )

relógios de sol
cantar dos grilos , nunca  são iguais
são mais da igualdade por nova adaptação
é sorrindo, sonhando... que se encontra
o limite certo para conter
tão vulgar, simples estar
se a canção se repetir mil vezes enquanto olho
vozes tão parecidas
o silêncio dos santos destemido
é sonhar... só cantar...
o plágio vai criar
(risos, risos, risos )

a poesia é o fim do poema
qual a diferença entre os temas ?
agora daqui a pouco vamos chegar
rogo , rogo, venha a verdade
do infinito e do eterno
me dê um beijo nos lábios

“sexo verbal não faz meu estilo, palavras são erros... “
“... porque se toca o telefone... “

profundo isto , que tudo acaba falando de amor
na escola de toda a teologia
a ciência da perfeição
está o nome amor
estruturado na trindade de Deus
imagino algo como um texto.
Ppppppppppppppppppppppppppppp
--
pá , um barulho
 “um estalo , um estouro”
“o Papa levou um tiro a queima roupa
“lalalalalalalalalala”

sim Pai...
uns pecaram, outros não...
queria estar entre estes
uns pecaram pouco, outros muito.
Eu pequei muito e a minha culpa só Vós sabeis...
E a minha dor agora é grande
Mesmo assim desejo-vos mais que nunca

Joguei um beijo para a multidão,
Estando dentro dela
Emiti vibrações de coração...
De substância.
Recolhi o meu pão que distribuí
Agora me sinto o mais pecador
Vós o confirmaste
Agora desejo acreditar na salvação
Pois Jesus significa “salvador”
Altíssimo Deus Emanuel
Enviado do alto
Com a salvação eterna emanando
Dos cinco mil quatrocentos e oitenta
Golpes desferidos no corpo, na sua paixão

É... agora minha poesia não mais me pertence
Pois veio do amor
Fonte que enfim reconheci
Nos outros como em mim
“te procuro o Deus”
“no silêncio tu estás

“silencia-se agora em nome de Jesus
a voz da vaidade em minha cabeça
a salvação eterna é contida na perfeição que Ele nos dá
e agora sei o que é crer , acreditar...
e agora, assim, acreditando desejo
que a santidade venha me partir todo
como raio , relâmpago e trovão.

LLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

22/05/2005

há luta em mim
um plágio sem fim, da originalidade
se eu contar de mim mesmo... sou chato
“only it to you cry
after that you don’t ask why
just don’t argue it anymore
my name is susan... i live upstairs from you
if you hear something late tonight
some kind of troble , some kind of faith”

na verdade a vida aparece em minha frente
desejo a santidade que vem da verdade
isto tudo remete mais a mim, a nós todos,
do que a verdade , também não é mentira
foi o caminho escolhido

não por merecimentos meus, por bondade nata
por amor, me resgatastes
a verdade se multiplica infinitamente
“por hora vemos como em um espelho
mas então veremos face a face”

nem sequer se sabe muito o “porque “
mas só quem experimenta pode dizer
foi pelo amor , por amor
cumprindo o mandamento

passa-se tudo em minha mente
como em forma de problemas e equações
até eu encontrar o geômetra chave
nem sequer é escrita a história toda
pois quem ama sabe a verdade
mesmo sem lê-la em livros dos homens
desejo entrar em um tema
o milésimo mais importante
a mínima fração de existência
que conjura o ser na verdade
do milagre do tempo

rasgue em si mesmo ó instante parte do meu ser
“uma palavra ? amor “

“tempo mano velho vai ainda, eu sei
demorar um pouco pra você correr macio
vai vai vai, conte comigo , pela madrugada,
só me interrompe no final

ah , meu tio santo...
minha madrinha...

mais uma vez consegui penetrar no mistério
que está no coração,
não sei ao certo como fiz isso
sei que posso fazer novamente
sim, isto tudo e muito ainda por vir

BBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBB

A cidade mineira ( capital de Minas Gerais )
A preço pago por Tiradentes ( mártir da inconfidência mineira)
Teve em sua bandeira um triangulo vermelho imprimido
Não é sabida ao certo a história toda.
Mas neste ano, a índole desta terra
Dos que comem calados , da sinais de manifestação
A bandeira precisa ser mudada mais uma vez
Belo Horizonte / mundo: 2005

--
luto contra as vibrações contrárias
e espero, esperando o momento da virada

24/05/2005

esta é a liberdade:
o que quiser fazer posso
vai depender do que eu decidir amar fazer
este é o ponto:
estar por mim mesmo
quando terei que fazer tudo
considerar tudo
vou mais além
e só quando desistir
terei mesmo o início
de prosas a versos, de latas a lixos
multiplico linhas , depois as leio
escrevo o decálogo da minha vida
estou aqui por ter chegado até aqui
estou por estar
outros vieram de outros lugares,
para outros ainda vão
eu mesmo não sei, espero o Espírito soprar
gentil e dócil, até penetrar eu a verdade
mais uma linha, mais um verso
e as estrofes encaixam em seu lugar
se isto tudo não se realizar
será ao menos um livro para corrigir
essas tantas voltas sem sair do lugar
vírgula , ponto ! vírgula , ponto !
e a tinta se vai
sexo ! (risos ) (mexer de sombrancelhas )
sexo, riso; sexo, riso ....
a batalha do inconsciente
e as belas que vão me levar
ao momento que nunca encontrei
em que, como dois imãs, belos e belas se atraem.
Sim; que medo é esse ? de amar ?!
Inspira, este respira, volta antes pra ver no que vai dar
Se der errado vamos ter no que dar
É, vai, alto, a Cristo , Maria , Shiva, Krishna, Buda

E sei lá, como vou pegar a verdade com as mãos  ?

Solto, o espírito, vai alto a amar...
Verdade destrói maledicência
Verdade/VERDADE
Todos os eles, as letras e o segredo dos símbolos
Das cores; tudo é luz...
Até a luz que é trevas.
Miestmspomo o segredo de amar
Frases loucas até me contrariar

O maior do mundo ? e se seremos um ?
De novo vamos lá.
Poeta, poeta...
Escute a voz! Escute a voz...
Ela pode lhe dizer tudo
Se quiser ouvi-la
Se abrir o peito
Se aceitar a guerra dentro se si
Se com o espírito olhar
Face a face o ódio, a inércia e o medo de amar.
Poeta e poetisa...
Vão se encontrar e completar música...
Que aplaca o medo de amar!
Vem, vamos lá, que onde estamos, é aí que está!
Vamos lá, que onde aqui, quando está
Está pairando no ar, faremos amar.
Interprete isto, índio da cidade montanha:
E diga, xamã do futuro, se isto vai curar.
“Aaah! Aaah!
Tente , levante sua mão sedenta e recomece a andar.
Não pense que a cabeça agüenta se você parar...
Não , não, não, não!
Há uma voz que canta, há uma voz que dança
Há uma voz que gira...”
Permito-me citar essas músicas
Para vocês verem , e me curar.
O repertório de músicas
Que soa sem sair do lugar.
Escutem a voz ( longo sorriso )
“o que tiver ouvidos ouça
o que o Espírito diz às igrejas”

“bate ao peito o Criador
Filho de Maria,
Mãe dos Crucificados”

--
a voz !
--
Brasil , a terra do amanhã
Os brasileiros aprenderam, com os negros, a gingar
Dos índios herdaram a terra
Os pássaros a cantar
E o mundo inteiro se congregou
Em uma terra com luar.
Por isso que se diz: Deus é brasileiro!
“a paz para o Brasil está próxima
o povo diz que Deus é brasileiro. É verdade, Deus ama esta pátria.
 Deus tem planos para o Brasil”
--
e após tudo...
paro perante um nome: amor
adentrando sua substância
que me dá a liberdade de ser, do ser verdadeiro
não sei explicar direito
a nome amar
só sei que é na direção do coração
é a voz que manda.

25/05/2005

sim Deus...
--

sim , as linhas falam por si mesmas.
Uma vez escritas, são abandonadas a sua própria verdade
O que muito se quer : fazer cada um sua parte.

Sim, ando em trevas
Então elas , não podendo me ferir
São colchões para eu descobrir a verdade.
O ódio. O considero uma das piores coisas.

O que é  ruim pode ser largado
--
a batalha se prolonga
porque quero tudo
alta rotatividade do ciclo
muitas chances por segundo
--
são pobres , Senhor, vossos filhos e filhas no mundo.
Meus irmãos, peço vossa benção  sobre sua pobreza.
Peço que ilumineis a todos
Com os sete dons do vosso Espírito Santo.

26/05/2005

retorno, esboço na mente,
vou como bambu seco trincar
retorno ao que fiz de melhor na minha vida, escrever.
Agora o faço sem emoção, mas tento
Sei que o alerta vem do coração
Enfrento o medo e aceito a guerra
Enfileiro as palavras.
Sobre o que dizer ?
Dizer elas a falar...
Mais um esforço, não conto nada
É o balanço da minha vida.
--
“Senhor São Bento, água benta, Jesus Cristo no altar.
Retira os bichos maus deste lugar.
Deixa os filhos de Deus trabalhar em paz!”
“fique observando o lugar , ele lhe mostrará
onde estão os bichos , você é o primeiro a ver)
--

“no silêncio escuto a voz “
como milhares de abelhas a zunzunar
vejo as pedras no chão, elas falam de mim
talvez tudo fale de mim
a matemática dos homens...
andei tendo com ela uns saldos negativosl
busquemos vontade, coragem.
E vários vultos na minha mente
Conversando comigo
Poesia ou poema, qual é a diferença?
O segredo no meu caso é não rimar.
Estou preso numa macumba azul e vermelha.
Tudo bem , a gente entende os macumbeiros
Mas não queremos mais macumba!
--
um grito seco ,
vou em frente ou retrocedo
mas não posso mais aqui ficar
escolho ir em frente
deixar as palavras fluírem
( um bicho, tipo uma joaninha pousa, neste instante
no caderno , marrom
Enviado por Dó em 09/05/2006
Código do texto: T153104
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 36 anos
1 textos (21 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:27)
Dó