Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NO SILÊNCIO DA NOITE

O raio da estrela mais brilhante
ainda alcança
meu olhar sem rosto.
Atinge, silencioso,
os velhos copos de cristais
em minha cristaleira
já esquecida
num canto da sala.
Meu poema está bem guardado,
e dorme como príncipe
dentro do copo amigo.

Perder o brilho dos clarões
da noite
é como perder o brilho
da vida,
é como perder o sangue
e a ferida,
é como perder o rumo,
suicida.

Tudo o que tem sabor, são músicas esquecidas,
e o que me lembra sonhos
de uma noite escura,
são coisas que não podem ser perdidas.

A noite pode andar silenciosa
pelas calçadas da cidade.
Todas as juras de amor
que me fizestes um dia,
imortalizando fidelidade,
plantadas em nuvens de pedra pela eternidade,
foram perdidas
e lavadas pelas chuvas caladas da noite.

Quando o novo dia amanhece,
somente respingos e resíduos do temporal,
misturam-se ao silêncio dos guetos.
A cidade fica triste, abandonada,
pouquíssimos passantes entremeiam-se
aos cães diuturnos que vasculham restos de espetos.

A noite é um reflexo do copo de cristal
que flutua sobre nosso ritual.
Invertidos acordes, submerso canal.

É só...

Nossas palavras de amor
parecem mesmo ignoradas,
amanhecidas,
amareladas,
jogadas ao tempo e às lembranças
de nós mesmos.

Outras noites virão,
cíclicas, contrárias ao raiar do sol,
acompanhadas pelo belo clarão
do despertar das estrêlas.

Outras vezes
teremos a oportunidade
de lembrar
do nosso amor,
acima das águas rasas.
Acima de tudo,
infinito,
e pronto para amar.


- AVIENLYW - (27/06/2006)

WILDON LOPES
Enviado por WILDON LOPES em 27/06/2006
Código do texto: T183479
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("você deve citar a autoria de AVIENLYW e o site www.wildon.com.br"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
WILDON LOPES
São Paulo - São Paulo - Brasil, 57 anos
269 textos (14455 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 09:51)
WILDON LOPES

Site do Escritor