Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Conjecturas sobre um poeta fictício, que escreveu algo sem saber porque, num dia qualquer.

Autor: Daniel Fiúza.
31/05/2005

Reservo-me o direito
De cultuar o meu sonho
Conservo-me imperfeito
Muito Feliz e risonho.

Quero o simples e prático
O café com pão e queijo
Realizar meu desejo
Nada de problemático.

Posso pecar à vontade
Sem ter medo de pecar
Se meu Deus é de bondade
Na certa vai perdoar.

Sou rude e desinformado
Tenho amigos especiais
O que ficar do meu lado
De lá não sai nunca mais.

Dispo-me de preconceitos
E visto a felicidade
Mudo todos meus conceitos
Nada de seriedade.

Amando a mulher que amo
No amor que fui tragado
Um furação que declamo
Nos sonetos inacabados.

Na vida maravilhosa
No viver sem esperar
Tanto o espinho ou rosa
Tem dias que vou amar.

Não quero ser o mistério
Nem a fatídica resposta
Muito menos revertério
Avesso da carne exposta.

Sou o sino que não toca
A missa que não rezei
O vento que só provoca
O que ainda não busquei.

Quem me vê não me conhece
Antes que eu me reparta,
Mas depois nunca esquece
Prova-me, dorme, e se farta.
Domfiuza
Enviado por Domfiuza em 19/07/2006
Código do texto: T197472
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Domfiuza
Santa Barbara D'Oeste - São Paulo - Brasil
1103 textos (142719 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:32)
Domfiuza