Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Criatura Poesia

À Mari

Nem sempre o que escrevo tem sentido
Nem sempre quando eu choro é de dor
O que busco sei que sempre é perdido

Nem sempre do meu cerne vaza amor
Nem sempre, porém, sou só amargura,
Às vezes sou aéreo, esquecido condor

Nasci para ser, para passar despercebido,
Um entre, nem deus, nem diabo, Criatura
Poesia em turbilhões de alta temperatura

Sebastião Alves da Silva
Enviado por Sebastião Alves da Silva em 29/10/2006
Código do texto: T276710
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sebastião Alves da Silva
Imperatriz - Maranhão - Brasil
687 textos (27269 leituras)
2 áudios (87 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 01:52)
Sebastião Alves da Silva