Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Homem timer


Nascituro temporário
contemporâneo, visionário
Nasce pra morrer
com gosto de adeus na boca
Cresce forte como relógio
Que marca passo a passo
No descompasso do rio que a vida levou

Mais um dia, todo dia
tenta das nuvens escolhidas
Congelar a forma que o cativou
Como se a fantasia despida fora dissolvida
com a morte do sonho que sonhou

A corda estipulada
dá prazos à efêmera alegria
Acorda toda manhã
vã tentativa
em subornar felicidade vitalícia
É perícia arguta toda labuta
Que tanto ao homem infama
Tão logo diz a si mesmo
Ser o que ama

Vai, retém a escapada do tempo
Como reténs o ar a ti não pertencente
Não olhes retratos cegos
Segue, disfarça-te de ti mesmo
Antes que te percebas carente
Luz reluzente,
última empreitada
leandro Soriano
Enviado por leandro Soriano em 04/09/2005
Código do texto: T47528
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandro Soriano
Santos - São Paulo - Brasil, 59 anos
199 textos (8370 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:11)
leandro Soriano