Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUANDO UM POETA MORRE

Não chore quando morre um poeta!
Porque poeta é verdadeiramente imortal.
Poetas são anjos, E anjos existem tantos!
Não chore quando um poeta morre!
Poetas são assim mesmo, frágeis,
nascem maravilhosos e pré-destinados.
Não chore porque poetas são luzes,
são líricos, românticos, loucos e únicos,
são como as primaveras, que vêm e vão...
Não chore nem fique tão triste
quando morrer seu poeta,
apegue-se nas suas lembranças
porque o poeta as escreveu do coração.
Não chore, apenas não esqueça,
e quando sentir saudades do poeta
leia seus textos às lágrimas
ou visite seu túmulo.
Por certo encontrará flores lá,
flores lindas! E perfumadas!
Porque seu poeta floresceu em flores
como última lembrança para ti.

* Esta poesia está no livro "Mania de Escrever" a ser lançado brevemente com poesias diversas. Visite o blog http://manniadeescrever.zip.net com poesias do referido livro.
Valdir Barreto Ramos
Enviado por Valdir Barreto Ramos em 09/09/2007
Código do texto: T644830
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Valdir Barreto Ramos
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 62 anos
1012 textos (238724 leituras)
5 e-livros (3796 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 16:50)
Valdir Barreto Ramos

Site do Escritor