Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Hereges

(À Gertrud Mersiovsky)


por muito pouco, algumas almas sucumbem
tornam-se ocas e disformes
vergam de frio, de fome, de farsa
de sombra - vergam de si próprias

umas dessas almas são sempre a cinza
dos espíritos
carbonizados de anteontem
e seus pés plantam o mofo
do fim do mundo e das mortes vividas
azul-escuras de todas as crianças
natimortas, abortadas, estupradas, interrompidas

outras dessas almas lúgubres
são amarelo-ouro, sorriem,
gargalham despudoradas
dentes sacrílegos
indiferentes à miséria, à indigência
à demagogia, à escravidão
almas lascivas que riem
aos brados vermelhos - de hienas
esses bichos que todas as vezes
dão horrendas gargalhadas
que "se alimentam" de fezes
e de carcaças pútridas estraçalhadas...

Ouçam! Vejam! Ó anjos! Leiam as harmonias!
Como tremem!
São a cura do mundo! São as sangrias
do Órgão Sauer-Walcker da Catedral de Bremen!
Marcelo Moraes Caetano
Enviado por Marcelo Moraes Caetano em 26/11/2007
Código do texto: T754002

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (MARCELO MORAES CAETANO). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcelo Moraes Caetano
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
246 textos (13413 leituras)
87 áudios (5937 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 08:59)
Marcelo Moraes Caetano