Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CALVÁRIO DO POETA

"PARAFRASEANDO FERNANDO PESSOA"
Junto à Brasileira do Chiado, no
Septuagésimo aniversário da sua morte !

*

O poeta tem seu nome
nas sementes geradas
no ventre do destino
e a sua revelação
ocorre no devir do tempo
que lhe compete.

A própria consistência
vem no fluir das horas
que lhe são delimitadas
pela sua poesia.

E esta não é senão
a resistência imanente
da gestação fora de si
pelo alienar constante
da consciência alheia.

É aqui que nasce o drama,
o drama de assumir,
no fundo, o que se é.

O poeta para se revelar
tem de gerir a sua identidade,
tem de vincar o seu eu,
gerir o ser do não-ser
e resistir sendo.

Neste profundo contraditar
está toda a beleza
da arte poética,
pela qual se manifesta
a verdade do seu mundo.

Andar nele e com ele
é carregar a força mítica
que traz no seu bojo
todas as sensações
que conduzem fatalmente
à sua própria morte.

Porque o poeta tem de morrer
para que fique neste acto
toda a sublimidade
da poesia que sonhou !


Frassino Machado
In ODISSEIA DA ALMA
FRASSINO MACHADO
Enviado por FRASSINO MACHADO em 07/12/2005
Código do texto: T82184
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FRASSINO MACHADO
Odivelas - Lisboa - Portugal
1601 textos (43967 leituras)
20 áudios (813 audições)
2 e-livros (19 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:41)
FRASSINO MACHADO

Site do Escritor