Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lucidar



Não quero ser lúcido além da conta
que eu no final da brincadeira, não possa pagar
Não divido dúvidas
Não quero dívidas
Generoso, divido minha ignorância com os cegos
Sou o parênteses da equação matemática
Anátema do entendimento pretérito mais que perfeito
Lucidez é acidez pr´alma
acostumada a não deixar de ser a mesma nunca
Não quero ser super-homem
de uma vida sem quadrinhos
Quero meu pull over azul marinho
incinerado no dia de minhas cinzas
Sentar na minha poltrona quando estiver na lona
e dormir pra não sonhar que estou acordado no mesmo lugar
A lucidez me desespera porque me faz ver o que não posso definir
E a quem definir?

Receio amar o desespero
e espero tê-lo a levar o ar que me sufoca
Lucidez é luz que clareia e mostra meus aposentos feridos
Sentimentos retidos na vida prisão
Na falta de não fazer, (re)existo
Deixa-me surdo de silêncios
O fermento que aumenta
E atormenta meu breve espaço pra sonhar
A loucura que é lucidar
leandro Soriano
Enviado por leandro Soriano em 12/12/2005
Código do texto: T85086
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandro Soriano
Santos - São Paulo - Brasil, 59 anos
199 textos (8375 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 05:42)
leandro Soriano