Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Kathleen_ML

É interessante ler poetrix de amigos. Às vezes eles nos levam aos outros mundos, a outras interpretações que nem o próprio autor imaginou. Este é um dos caminhos que mais gosto destes pequenos poemas, pequenos na escrita, porque nos dizeres, são verdadeiros gigantes. Vai aqui a minha leitura sobre dois destes poemas da minha querida amiga Kathleen_ML.

(AD)VENTO

A (real)idade não existe...
Ao vento (a)vento-a,
(In)vento-a. Ventoinha.

Já, no título, percebemos a preocupação da criatividade que se estende para todo o texto. É curioso notar na autora, a preocupação da escolha das palavras que oferecem duplo sentido, isto deixa claro que a intenção não era apenas a de escrever mais um texto, mas sim brincar com ele de uma forma agradável e exuberante. O primeiro verso, de forma subliminar, nos diz que a real idade não existe. No segundo e terceiro versos, a autora faz um belo jogo de palavras, para dizer que inventa a real idade. A palavra “ventoinha”, uma peça de carro que serve para resfriar o motor, aqui ela funciona como um ventilador que espalha a real idade para o seu mundo e o mundo exterior. Além de todas essas leituras, destaco a pontuação do poema, um elemento importante no contexto do Poetrix.

Outro Poetrix belíssimo...

Ah, Maquiavel...

O mundo está vazio
De atitudes honestas
À que os meios justifiquem os fins
   
Um título excelente, bem pensado. Ao invés de usar uma exclamação no final, a autora usou a reticência, como se dissesse: vai, continua, sonha.

No primeiro verso ela diz que o mundo está vazio. Eu pergunto: e não é verdade?

Maquiavel disse: “O homem prudente deve seguir sempre as vias traçadas pelos grandes personagens...”. Quando a autora diz que “o mundo está vazio//de atitudes honestas”, ela está nos questionado quanto às lições de Maquiavel; que nós estamos seguindo personagem errado; que estamos sendo levados por aqueles que usam de todos os meios desonestos para justificarem seus atos ilícitos.

Quando a autora se refere a Maquiavel, ela nos abriga a uma reflexão política, nos leva a pensar em algo maior do que o próprio poema. Neste caso, o Poetrix serviu como um trampolim, o mensageiro de fala.

Viva a poesia!!!
Pedro Cardoso DF
Enviado por Pedro Cardoso DF em 20/11/2006
Reeditado em 20/11/2006
Código do texto: T296223
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Cardoso DF
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 68 anos
4322 textos (94843 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 17:12)
Pedro Cardoso DF