Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROSA PA DOIS

Si tu quisé i vai
ma si fô i memo
vai agora
i num vóuta mais

Si falá pos otro qui mi dexô
qui fugiu di casa i qui mi imprenhô
vô falá pro Zeca ti dá uma surra
i tu intão vai vê qui eu num sô tão burra

Vô ti processá, mandá ti prendê
vô ti arrebentá qui é patu aprendê
vô falá na vila qui tu é marginau
qui bati em mulé i é pernadipau

Vô ispaliá no bar que tu baba a fronha
qui comi mingau e fuma maconha
qui tu usa cuecão nus dia friu di inverno
pra ti maltratá eu vô até u inferno

Mas si quisé voutá pro nosso puxado
preparo agora memo um café passado
si tu chegá tardi causa do sambão
num comi pastel puqui já fiz fejão

I vê si mi discurpa pelas grosseria
já lavei a ropa como tu queria
vem dizê dinovo qui sô tua princesa
i podi botá as bóta sobri a mesa

Sabi qui sem tu, meu nego, tudo é nada
disliga o radinho que já tô cansada
me perdoa memo, to ficando loca
bem qui eu divia tê calado a boca

Já falei pra Cráudia que tu é bom sujeito
é trabalhadô i mi trata com jeito
mas sobri aquilo que tu mi batia
da próxima veiz é na delegacia.
Duda Keiber
Enviado por Duda Keiber em 24/11/2006
Código do texto: T300223
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Duda Keiber
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 37 anos
77 textos (6426 leituras)
1 áudios (82 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 11:46)
Duda Keiber