Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Qual é o sentindo?

 Qual o sentindo dessa dependencia de qualquer pessoa que tanto temos? Por que essa incrível necessidade de ter e de estar com alguém?
 Acordo todos os dias, muito bem sozinha, não preciso que ninguém me abra os olhos, ou levante meus pés (Graças a Deus que não), mas porque me sinto mais sozinha em domingo de manhã, quando rolo na cama, e naquela imensidão, só.
 Ando pelas ruas, muito poucos me percebem, ou se incomodam, assim como ás vezes nem me dou conta do fluxo, não me importa. Por que minha mão solta cortando o ar, rápida estática, faz o coração se contorcer no vazio do peito?!
 Subo as escadas rápido, nem mesmo olho para trás, desço no mesmo passo, não paro, não reparo, e porque quando não há ninguém a me esperar no final dos degraus, me bate uma tristeza profunda?!
 Por que essa dor repete em todas as línguas que conheço, aqui ou no outro lado do Atlântico, todos se sentem sozinhos. Por que me sinto sozinha, se bem sei que não preciso de ninguém? Alguém poderia por favor desligar esse sentimento enlouquecedor, fazer parar essa agonia terrível, que me maltrata e destroí a alma... Eu não quero mais, pode levar, quem quiser sentir isso.
 Talvez seja somente o amor acumulado, transbordando, faz doer a saudade de quem eu nem conheço, sabe-se lá se um dia vou vir a conhecer... E que todo esse sentimento. Como as pessoas sinceramente podem dizer que estão bem sozinhas, ninguém fica bem sozinho. Tem dias que realmente aumentamos nosso espaço pessoal e desejamos ficar sós. Mas há diz, que não há ninguém na nossa intimidade, ninguém a chamar nossos nomes, ninguém para comemorar uma vitória.
 Claro que há amigos, parentes... mas você bem do que eu digo, todos tem no que ou em quem pensar... Não sei, na verdade até gostaria de saber mais, muitas coisas eu me pergunto e me respondo sempre: Não sei...
 Bom, vou deixar tantas questões de lado, e voltar a pensar em algo mais superficial, menos "cabeça", deixa o coração batendo, no seu trabalho de origem, e quem sabe um dia eu preencho esse vazio...
Claudia Rayzer
Enviado por Claudia Rayzer em 25/01/2006
Reeditado em 15/03/2006
Código do texto: T103760

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Claudia Rayzer
São Vicente - São Paulo - Brasil, 31 anos
139 textos (6844 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 02:56)
Claudia Rayzer