Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Absinto

Absinto.

Delasnieve Daspet



Uma taça de um bom vinho
Para matar a tristeza e
Corar as faces.

Cansei de perder oportunidades.
De não aproveitar a luz do dia.
De não ser de lugar algum.
De não me sentir em casa.

Resta o improviso.
O amor, o futuro, a glória,
Algumas vezes são meros detalhes.

A felicidade é uma melodia
Que se canta todos os dias.
Pode haver drama.
...Há sempre jeito para tudo.

Na fogueira dos dias
- Não apenas na aparência -,
Enquanto a maioria queima
Eu crepito.

Segredos guardados no arco-íris.
Ilusórios.
Que amargo o absinto que
Bebi pelo caminho!
_04-11-02
Campo Grande MS



veja também o dueto com os poetas Jan Muá, Maria Petronilho e Sybilla em: http://www.delasnievedaspet.com.br/duetos/ddejanpetronilho.htm

Delasnieve Daspet
Enviado por Delasnieve Daspet em 31/01/2006
Código do texto: T106673
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Delasnieve Daspet
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 66 anos
654 textos (28490 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 03:59)
Delasnieve Daspet