Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PERDIDO NO TEMPO

Evaldo da Veiga
 


Perco a noção do tempo, mas não perco a noção em você.

Ti vejo, você aqui, você ali, até distante.

Você é minha, e também da vida; sou teu, e também do mundo.

AMOR REAL, SEM IDEALIZAÇÃO, NOSSO AMOR!

Quando vou ali e volto logo, como é boa a sensação do retorno.

Venho no nosso caminho, no caminho de nós dois,

cantando aquela canção, a canção de nós dois, a nossa canção.

A porta se abre, é o teu sorriso que me acolhe!

Lindo ele, tenho vida plena no teu sorriso.

Ele é o meu sorriso, sorrio através dele,

fonte linda de vida e amor.

Teus olhos, Oh ... teus olhos,

como eles olham lindo pra mim!

Com aquele brilho de paz, carinho e amor.

Eles sinalizam para onde devo ir,

eu e minhas emoções, minhas devoções...

Olhos que atraem para si e distribuem pelo teu corpo,

olhos de vida  e de emoção...

Beijos teus olhos de mansinho,

e minhas mãos deslizam no teu corpo;

e foram eles, teus olhos, que disseram por você:

vem, percorre esse corpo todo, esse corpo de amor e desejo;

vai ali, lá... vá, vem!

Percorra-o  todinho, ele é o teu caminho, é o caminho de nós dois.

Teu corpo caminho longo e sem fim.

Minhas mãos se movimentam incessantes,

alegrando nossos desejos, que também não tem fim...

Meus  dedos umedecidos, dali... que bom...

Coloco o meu dedo nos meus lábios,

nos teus lábios...  que bom sentirmos o gostinho do teu corpo.

Somos cúmplices no teu gostinho, que é o nosso gostinho.

Teus olhos nos meus olhos pedem mais carinho,

querem mais, falam por você.

Tudo teus olhos dizem, tudo..., é a abertura plena de ser,

querer, dizer, fazer e sentir, é a franqueza aberta do nosso amor.

É assim porque meu corpo precisa do teu,

teu corpo precisa do meu... assim,

somente aliança plena satisfaz nossas almas,

nossos sentidos, nossos sagrados e profanos desejos.

Nos enlaçamos de pé em beijo carinhoso,

nossos corpos se olham, não vêem imperfeição.

Concluem que não existe defeito em quem se ama.

Não falta e nem sobra nada, temos tudo: carne,

ternura, carinho, calor, desejo, emoção...

Aquele aparente defeito ali, não é defeito, é ornamento;

foi colocado ali, exatamente ali, para embelezar, maximizar nosso amor...

Já nos exploramos tanto em nossos corpos,

e o teu sorriso, o sorriso dos teus olhos,

com aquele brilho fugaz e definitivo, bem pertinho, diz assim:

deixar rolar amor.., não vamos apressar o tempo, não!...

Vem meu bem, mais ainda, dentro mim, vem a mim...

Vem agora, quero agora...

Vem amor!..

VEM !!!...




evaldodaveiga@yahoo.com.br





Evaldo da Veiga
Enviado por Evaldo da Veiga em 18/02/2006
Reeditado em 03/10/2011
Código do texto: T113375

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Evaldo da Veiga
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 73 anos
952 textos (313611 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:11)
Evaldo da Veiga