Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CHUVA E SOL: CASAMENTO DA RAPOSA

Rememorei os bigodes de meu pai e o seu olhar maroto poetizando sol e chuva, nos folclores da infância.

O sol despeja sobre nossas cabeças o hálito travesso do verão: cavalga nuvens azuis sobre flocos de algodão.

Pousado na estrada com sua coroa de espinhos dourados, alumbra-me os olhos, e a visão é magnífica.

É o mago do dia em sua realeza.

Por certo deve ter tomado banho e sacode a cabeça molhada, espargindo chuva fininha sobre campos pontilhados de gado e flores.

Entre um chumaço de capão-de-mato e a lavoura de soja, tudo muito verde, pastoso de vida, a raposa bebe no pote de ouro ao pé do arco-íris. Prepara o dote nupcial.

No alto duma coxilha, num cemitério todinho branco, uma cruz se dobra pra ver a cena. Tem uma inscrição no seu pescoço que só o olho da saudade sabe o que diz.

A pandorga mágica está com o rosto molhado pela mesma chuvinha fina.

O menino corre ladeira abaixo buscando vento pra levantar a pipa molhada. Sua longa cauda enrosca-se nas guanxumas e nos carrapichos.

Só o mundo sabe dos amores. Necessário dar-se a eles no decurso do tempo.

Viver é uma pipa ao vento...

– Do livro EU MENINO GRANDE, 2006 / 2008.
http://www.recantodasletras.com.br/prosapoetica/117583
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 02/03/2006
Reeditado em 19/09/2008
Código do texto: T117583
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709798 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 02:50)
Joaquim Moncks