Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Adeus

Adeus

De repente um estampido de bala
Um corpo no chão-
Uma mão estendida
Frenética correria...
Alguns curiosos só pra ver de perto
Outros por medo ou por desafeto-
Correm na direção oposta...
O sangue jorra, como fonte
Não é mais a vida,
Mas a morte quem impera-
O dia não espera,
O relógio no pulso continua no seu tic-tac
O pulso pára...
O sonho cessa
Os olhos cerram...
A vida não espera –
É quente ainda o corpo, estendido
Branca a face, pálida tez
Deixou para trás de vez
Os planos, os rumos, os horizontes
Deixou lembranças, saudades, sentimentos...
Deixou toda a gente a murmurar lamentos...
De repente, não mais que alguns minutos-
Tudo se acabou, o amor se foi
Se foi a alegria, se foi a luta...
“Tão jovem ainda”, dizem...
“Tanto tinha pela frente”...
Mas foi assim, tão de repente...
E tudo mudou...
É tudo hoje tão diferente...


Eder Mag
Enviado por Eder Mag em 16/03/2006
Código do texto: T124208
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eder Mag
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil, 52 anos
41 textos (1199 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 16:48)
Eder Mag