Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU CORAÇÃO É UM ÍCARO


Com muito custo e depois de muita descrença, aprendi a amar me atirando feito mergulhador num poço fundo onde não me era permitido saber o que tinha dentro. Aprendi a amar sob a marca da impermanência e do temporário, embora meu peito teimoso, contrariando minha razão e meu cérebro, inventa que as coisas podem ser eternas. Depois que aprendi a mergulhar no escuro, na profundidade, meu peito não aceita mais o raso, o superficial. Mesmo assim, me arrisco, sabendo que nem todo mundo aceita as profundezas e teme as incertezas. Eu também já fui assim. Mas essa coisa é andar de bicicleta: você passa anos sem andar , mas não esquece. Pode até tomar uns tombos na tentativa de reaprender, mas esquecer não.
E aí eduquei meus braços pra esticarem-se da maneira certa para o mergulho profundo ; mas a razão, sob o signo do efêmero, quer que eu aprenda a educá-los para voltar ao vazio , como se o amor fosse tão volátil e fugaz que não merecesse chances. Tenho que me perdoar e pedir perdão ao resto do mundo se não consigo mais me contentar com o mergulho no raso. Eu não preciso das certezas mais. O que aprendi com aquele amor quee ensinou a mergulhar sem temer o que há no fundo e totalmente sem equipamentos de segurança e certezas é que a gente só precisa do amor . E fé. Acreditar, eis tudo. O resto são detalhes.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 21/03/2006
Código do texto: T126249

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154019 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 15:03)
Débora Denadai