Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os modismos

Os modismos

Pode parecer brincadeira, mas as influências externas e o comportamento das pessoas ao redor do mundo, e os modismos, interferem tanto em nossas vidas, que muitas vezes, pegamos certas idéias, hábitos e até mesmo posturas e conceitos que não fazem parte de nós mesmos, apenas por modismos.

Certa tarde que não fui ao trabalho, recebi a estranha visita de uma vizinha que fazia tempos não aparecia  (mais ou menos uns cinco anos, ou mais).
Ela entrou com a desculpa de que vinha me cumprimentar, saber como estavam as coisas e foi ficando, ou melhor, tentando emendar um papo. Só que por sorte minha, ou coincidência do destino (coisa que eu não acredito), eu estava tão ocupada, que apenas pude despejar-lhe um copo de chá gelado e continuar nas minhas tarefas sem sequer ter tempo para mirá-la de frente.

E fui ouvindo, ela falou-me que tinha passado uma fase super difícil em sua vida com o ex-marido, os filhos, o trabalho (desemprego mesmo). Que tinha ficado muito deprimida e que em uma dessas noites de tristeza existencial, tinha conhecido um homem com quem começou a se relacionar. No inicio, acho que foi um mês tudo estava muito bom, até pintar a esposa que na verdade sempre havia existido. Ela me contou que desistiu de seu romance meteórico e falou com a pessoa que não ia dar mais que era complicado, por causa da esposa, etc. Enfim eles estão se relacionando até hoje e a esposa continua no meio. A minha vizinha tornou-se amante. Só que o seu amante é muito exigente e controla todos os passos dela, inclusive com quem estava, onde foi etc. E ainda por cima ela diz que não o suporta mais, que inclusive agora o está ajudando financeiramente, e que sexo entre eles não é nenhuma maravilha, mas que para não ficar sozinha prefere aturar.

Enquanto ela esteve em minha casa ele ligou para o celular dela (três vezes).
Enfim ela me falou que estava ainda com ele, não por amá-lo ou por afinidade ou por qualquer outra coisa. Estava com ele pois sentia-se bem em dizer para as amigas quando perguntavam: e aí tem alguém um namorado? Ao que ela respondia: sim estamos muito bem, logo ele vai se divorciar, etc.

Como eu não podia falar nada para ela, apenas pensei comigo mesma. Como pode uma mulher bonita, ainda jovem, com a vida estruturada se submeter a uma situação, ao meu ver vexatória e humilhante, não por ser  a outra, mas simplesmente por estar com uma pessoa que não acrescenta nada, não diz nada. Só para dizer para si mesma que tem companhia, e não ser apontada pelos outros como mais uma solitária?

Acredito que existem ainda muitas mulheres assim, que se acomodam a situações infelizes e paranóicas. É realmente lamentável, pois a vida é muito mais do que “modismos” passageiros. E ser feliz é um compromisso que todo ser humano deveria ter consigo mesmo, como meta principal e objetivo principal de sua vida.

Para as que ainda vivem assim, deixo-lhes o meu carinho e a esperança de que nunca é tarde, para virar a mesa, dar um basta e correr atrás de tantas oportunidades que pintam no dia-a-dia. Para as que se completam e se realizam de verdade, meus parabéns e um pedido especial ajudem ainda as que estão no caminho da maturidade.


Aradia Rhianon
Enviado por Aradia Rhianon em 30/03/2006
Código do texto: T131001

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aradia Rhianon
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1208 textos (87733 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 12:34)