Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Salada musical

Ao som de Djavan cantando Oceano
Me pego relembrando os planos
Todos aqueles que um dia formulei
Se passaram tantos anos
A vida foi então se modificando
E quase nenhum deles realizei
E agora me pego assim, poetando
Dando vida àqueles planos
Já que no papel em branco, sou Deus
Agora está Elis Regina cantando
Águas de marco agitando minha cabeca
Desfazendo os velhos planos na areia
Quem sabe ainda sou um garotinho?
Cássia Eller questiona
Onde está a verdade?
Serei eu poeta sem saber amar?
Quero mudar a planta de lugar
Por a planta dos meus pés
Num radioso salão, com você a bailar
E Flávio Venturini abre a porta
E diz que o bom da vida vai prosseguir
Para lá de um céu azul
Onde a lei é o amor
Prá qualquer um, seja quem for
Ai quem dera ser um peixe, diz Fagner
Fazendo borbulhas de amor
Em teu lindo e límpido aquário
Com meu coração escravo da ternura
Ternura que a vida me fez
Trazendo você para mim
E assim, desafinado,
Mas com um coração batendo no peito
Só quero te pedir:
- Com ou sem planos, jamais fujas de mim.


cacaubahia
Enviado por cacaubahia em 15/04/2006
Reeditado em 07/12/2008
Código do texto: T139574

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
cacaubahia
Londrina - Paraná - Brasil, 56 anos
334 textos (36448 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 20:19)
cacaubahia