Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Escrevo como quem ama o desacerto

escrevo como quem ama o desacerto desensina o ensinamento reflexiona o sexo anexa o impreciso

escrevo como quem ama o riso o imprevisto o inciso e recolho todos os chãos todos os passos do desvio

escrito está o muro o pergaminho o mandamento de judas as juras e as maldições escrevo no vento no virtual jogo versos no ventilador e a minha dor vai a leilão

como quem prega prego no deserto jogo areia nos olhos do vento me lanço neste universo e ainda quero o conexo com outros diversos doidos como eu

falo de sexo e de vida de dívida com dúvida e me divido em dois ou mais e disso concluo que nada é conclusivo e que só há um continuo movimento um vento que assopra-nos no verso e anverso de nós mesmos

escrevo recluso na minha mais ampla liberdade e vou fazendo uma história desimportante à margem do status e de saudade do presente e de medo e ânsia do futuro que já o penetro neste instante

escrevo como quem bota fogo nas vestes como quem se reveste de pele e puro pêlo como quem desenha rupreste na caverna na web

escrevo do futuro do pretérito e do passado do preterido e proclamo aos quatro cantos:  o brasil está duro no desemprego no desalinho no desassossego na pasmaceira da roubalheira
 
não sou negro nem branco nem mulato e piso no braseiro da fé da fome faço não peço arrêgo pra governo corrupto que corresponde bem ao gosto brasileiro

e disso tudo: da tinta dos jornais da migalha da literatura dos suor das ruas... vou recolhendo as letras amarrando-as com arame e vísceras, untando sangue e gente e nesse cosmo de caos de mantras e mentes faço meu discurso torto tosco... sou mesmo um poeta meia boca pretensioso
Célio Pires de Araujo
Enviado por Célio Pires de Araujo em 20/04/2006
Reeditado em 20/04/2006
Código do texto: T142470

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Célio Pires de Araujo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Célio Pires de Araujo
São Paulo - São Paulo - Brasil
1075 textos (32926 leituras)
2 e-livros (236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:29)