Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pedido á um Anjo

Não faz muito tempo, numa noite de luar, a brisa tépida e suave acariciava meus cabelos enquanto eu deixava meu olhar perder-se na linha que dividia o mar e as estrelas.
Ainda era cedo, mas já poucas pessoas passeavam pela orla da tranquila villa á beira-mar,e a maioria era de casais de namorados que como eu admirava a beleza da noite.
Mas eu estava sozinha. E me sentia só.
A grande diferença entre essas duas condições é que na primeira você pode até estar sozinho mas sentir-se reconfortado pela lembrança, por uma voz á dizer-lhe que está com você no pensamento, no coração.
Na segunda...bom, na segunda não tem jeito, você se sente o último ser na face da Terra e era exatamente assim que eu me sentia.Terrivelmente só e triste.
Primeiro quis colocar a culpa em mim mesma.Quem mandou vir justamente á essa praia? Quantos sentimentos, quantas lembranças boas este lugar me trazia...
Depois raciocinei que não era o lugar, visto que em qualquer lugar eu sempre estava á pensar na mesma coisa...ou melhor,na mesma pessoa.
Ele...minha paixão de adolescência. Ele, meu namorado de três anos.Ele, meu amor, meu tudo, meu mundo...
Ele, que neste mesmo lugar,nesse banco de frente ás ondas, com o sol pondo-se diante de nós,jurou-me amor eterno,proclamou-me a mais linda das mulheres,a namorada mais doce que poderia ter, sua futura esposa...
Ele.Que agora, naquela noite, apenas um ano depois,transformara-se de meu eterno amor para uma eterna lembrança. Lembrança maldita, pensei eu. Esse infeliz...Porquê não consigo esquece-lo?Já amei outros antes...ou não? Será que só á ele amei? E amarei a vida inteira? Deus, porque isso comigo? Por favor,deixe-me esquecer, tire isso de mim...Será que nunca mais vou ser feliz?Porque é o que sinto...que jamais amarei alguém como o amei e nunca mais serei feliz...se tudo me lembra o que passamos, um gesto de alguém parecido com os que ele fazia, sua voz, seu rosto...até esse mar, essa lua tão linda me lembram da nossa história...ah, se eu pudesse esquecer!
Mas em vez de esquecer apenas fiquei alí relembrando todos os momentos,a primeira vez que nos vimos, nos falamos,como meu coração batia apenas com seu sorriso...como nem acreditei quando aquele deus tão lindo e tão gentil me mandou um bilhete tão romântico, como um pergaminho,dizendo que aquilo era um feitiço de amor que se eu aceitasse duraria a vida inteira.Lembrei dos grandes presentes e dos pequenos, ainda mais significativos. Das comemorações nos aniversários de namoro,do riso, das brincadeiras,das implicações bem-humoradas,dos beijos e abraços, das mãos...ah, as mãos...como eu amava aquelas mãos. Não só pelas sensações que em mim despertavam, mas porque amava olha-las, tão grandes,claras e perfeitas...as mesmas mãos que no dia do adeus fizeram aquele nosso gesto que significava " Eu sempre vou amar você". Sim, ele dissera isso minutos antes de eu embarcar no ônibus, totalmente desnorteada. Dissera que, embora não do jeito que eu e ele queríamos, ele sempre me amaria.Mas como isso doeu...
E alí, com a cabeça encostada num coqueiro,pensei como doía até hoje...ah, se a dor passasse como o amor que ele dizia que sentia...pensei, enquanto lágrimas escorriam dos meus olhos á medida que os fechava e ficava escutando apenas o quebrar das ondas na areia.

Não sei quanto tempo fiquei assim, mas quando abrí os olhos tinha um estranho sentado ao meu lado.Era um estranho, mas seu rosto parecia-me conhecido, e ele me fitava com um sorriso triste e calmo.Num repente, senti-me completamente acordada e logo tive a certeza: era um anjo.
Não que ele tivesse uma áurea á sua volta ou asas saindo de suas costas, mas eu tinha a clara convicção de que ele era um anjo,como quando nos sonhos sabemos certas coisas apenas pela percepção.E ele parecia ler meus pensamentos, porque afirmou calmamente que era meu anjo e que viera atender meu pedido."Que pedido?" perguntei, já não me lembrando de nada mais antes daquela aparição incrível.
"Seu pedido de esquecer.Não era isso o que você mais queria até agora pouco?" disse, olhando-me com seus olhos penetrantes.
"Sim, mas... como seria isso? Eu vou esquecer tudo desses três anos da minha vida?" perguntei,assustada.
"Não, nem mesmo dele você vai esquecer-se" respondeu meu anjo."O que que você esquecerá será esse amor tão grande que você sentiu.Tudo, todos os momentos, os sentimentos ligados ao que você viveu, a história de vocês, tudo isso desaparecerá e dará lugar á vaga lembrança de alguém que passou pela sua vida sem deixar nenhum significado.Será como a lembrança daquela paquera que você tinha na primeira série e nem se lembra mais o nome, ou alguém que você conheceu numa festa e não deixou impressão nenhuma.O importante é que toda a lembrança da história desse amor desaparecerá e com ela também o sofrimento.Você está pronta?"
Permanecí em silêncio enquanto assimilava tudo aquilo que o anjo acabara de dizer.Então era assim? Apenas um toque de sua mão...e tudo aquilo iria embora?Tudo...todas as lembranças...tão doces, tão tristes, tão belas...afinal...o que elas eram?
" Indecisa?" perguntou-me meu companheiro,levantando uma sobrancelha.
"Não, é que... é claro que eu quero esquecer... tanta tristeza tem me trazido...apenas é que...é como se..." e não sabia traduzir o que estava sentido.Devia estar ficando louca por ainda pensar ante uma proposta daquela, pensei.
"É como se apagando essas lembranças você estivesse apagando parte de sí mesma" completou ele.
" Isso... eu sei que é estranho dizer isso depois de tanto maldizer essas lembranças que não me deixam esquecer...mas de repente parece que não consigo me desapegar delas...ou melhor, não quero...mas eu sofro de verdade. Como pode ser isso?" perguntei, cada vez mais confusa.
" Pode ser perfeitamente normal,e é!" Explicou meu anjo,com uma voz compreensiva. "Acontece quando vivemos um momento tão lindo que quando não podemos mais repeti-lo nosso coração enche-se da dor da perda. Mas essa dor seria ainda maior se a lembrança desse momento fosse tirada de nós. Porque ainda que por um instante, fomos felizes, fomos poderosos, invencíveis.Lembre-se, a felicidade é feita de instantes."
"Então quer dizer que ao livrar-me da lembrança dos momentos felizes que passei com ele...eu estaria tirando momentos da minha felicidade também, não é?" perguntei, começando á entender onde ele queria chegar.
" É o que eu acho" disse ele sorrindo. " Mas lembre-se:hoje te foi concedido o favor especial de poder escolher.Se você acredita que apagando esse amor da memória você será mais feliz, então vá em frente e seu desejo será realizado.
A decisão é sua, por isso escolha com cuidado".Completou.

No silêncio que fez-se em seguida,pensei como era importante a decisão á ser tomada. Será que privando-me das lembranças antes tão indesejadas eu me tornaria ainda mais vazia do que com a  ausência que esse amor me causava? Á que eu estava renunciando realmente?
Uma sucessão de imagens passou rápida e sucessivamente pela minha cabeça.Nós dois rindo,nos beijando e lambuzando-se de sorvete.Eu sentada na janela do meu quarto, com lágrimas escorrendo enquanto lia um soneto que ele fizera para mim. Ele chorando após receber minha carta de feliz ano-novo, me abraçando enquanro os fogos estouravam no céu.A linda foto da gente rodopiando, eu com meu vestido de festa e e ele lindo de terno, no casamento do seu irmão.Nosso beijo mais louco e cheio de desejo, quando chegamos em casa ensopados do temporal que acabara de cair.Finalmente nós dois sentados alí,naquele mesmo tronco em frente á praia,com ele beijando meus olhos e me dizendo que era o homem mais feliz do mundo.
Então, desviando os olhos do mar e olhando para o ser sentado ao meu lado, disse:"Tomei minha decisão".
E ele sorrindo respondeu:"Fico feliz por ter sido essa."



Hoje me alegro ao pensar que tomei a decisão certa. Ás vezes, quando a vida nos machuca,nosso desejo é fugir, apagar as lembranças e a dor que nos faz sofrer. Mas assim como o meu anjo amigo explicou depois,todos os momentos que marcam nossas vidas são importantes, sejam eles tristes ou felizes, pois servem para o nosso crescimento como pessoa.Depois que me tomei minha decisão, o anjo disse que já que eu escolhera a opção certa para minha primeira pergunta, ele responderia á segunda.
"Sobre se nunca mais iria ser feliz" lembrou-me ele, aparentemente divertido com a enorme facilidade que nós, humanos, temos em esquecer certas coisas que dizemos quando estamos emocionados. "Sabe", continuou ele," a felicidade é algo que construímos, um pouquinho á cada dia.Hoje você está ferida, magoada, amou muito e acredita que se era amor não acabará nunca, então você será eternamente infeliz.Em parte você tem razão, porque o amor é um dom supremo que jamais acaba. Mas ele se transforma.Com o passar do tempo, esse amor-paixão irá transformar-se em amor-irmão, como o que você sente pela sua família e amigos. Então seu coração estará pronto para ser preenchido outra vez, mas para isso é preciso que ele esteja livre de rancores e mágoas".
" Mas e as lembranças...elas não irão atrapalhar ocupando espaço?" perguntei, meio apreensiva.
"Não" disse ele colocando levemente suas mãos em meu ombro,transmitindo um suave calor." As lembranças já são parte de você e formarão, junto com tuas novas experiências,uma história...a história da tua vida." E com isso,virou-se e começou á afastar-se pela areia da praia.
"Espere aí"gritei, e ele virou-se."Se a vida é uma história, como termina a minha?"perguntei.
"Bom, isso eu já te disse que você que terá que escrever" e depois, sorrindo acrescentou: "Mas se quer seguir o meu palpite, aposto que vai ser como na maioria das histórias de garotas boas e corajosas..."
" Final Feliz" murmuramos juntos. E então,lentamente,ele desapareceu na noite.
Ishtar
Enviado por Ishtar em 21/04/2006
Código do texto: T143056
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ishtar
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 33 anos
4 textos (165 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:16)
Ishtar