Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A DAMA SOLIDÃO

Sarandeia o capeta no céu claro da piscina. Colhe-se matéria-prima para o texto. Mergulha-se na dolência da tarde, chapéus de sol e óculos escuros. Olores são vários: óleos de proteção da pele, cozinha picante.

Cochichos aos telefones. Impressões. Soluços, fúrias, afetos. Desliza sobre a pele a erótica fricção. Sorve-se água-de-coco. O beijo estala na ponta do canudinho.

Ou fosse cerveja, uísque, vinho suave haurido em seios tesos, túrgidos. Sotaques nordestinos açulam a parte que não pensa.

O olhar crítico instala-se no observador: a estátua de Rodin perscrutando o ócio. O pensar curto, indolente. Espicha-se o desejo num aceno de véspera.

Dorme a ama das ausências. Luze num silêncio de pedra.

– Do LIVRO DOS AFETOS, 2005/2009.
http://www.recantodasletras.com.br/prosapoetica/146443
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 27/04/2006
Reeditado em 17/09/2009
Código do texto: T146443
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709672 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 08:35)
Joaquim Moncks