Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Homem, segundo Vinícius

Bom, sou um grande admirador de Vinícius de Moraes... Em seu livro "Vinícius sem ponto Final", muitos de seus textos são apresentados, retratando momentos de tua vida e tua história... Como sou fã do poetinha, aí vai sua definição sobre o homem...

"Eu sou um homem. Não adiantam subterfúgios, nem dizer que sou um poeta, um compositor, um revolucionário, um mendigo ou qualquer classificação cabível no meu ser tão vário. Eu sou um homem. A medida de todas as coisas, uma coisa de grandeza e solidão, um ser múltiplo e indivisível a se agigantar no espaço como uma árvore sem termo. Eu sou o passado, sou o presente e sou o futuro. A sombra de meu pai e o amanhã de meu filho. Eu sou o amanhã universal porque vivo e me mato a cada instante, num silêncio que fecunda o amor, num amor de onde floresce o sonho, num sonho que recria a vida, numa vida de onde nasce a morte, numa morte que se nutre do amanhã. Meu único ideal...

Estou limitado pelo meu nascimento, ao Sul; pela minha morte, ao Norte. A Oeste tenho compromissos, dilemas, retaliações. A Leste tenho o povo, que me oprime e a quem amo. Quisera ser canção, nuvem, primeira namorada, quando penso no povo. Tomara tanto simplificar-me e não ter mais desejos senão o meu amor ao povo. Mas, aí. Nasci tal um relógio, com um pêndulo que marca o tempo da minha paixão. Sou um homem. Um ser sempre a crescer. Um homem no seu mais dramático sentido. Dotado de toda a inteligência, toda a chama, toda a sinceridade, toda a astúcia que pode ter um homem, e toda a solidão. Que solidão! Meu corpo, que as mulheres possuíram com uma sensação de eternidade. Que solidão! Minhas mãos pequenas, duras, sem doçura, mas capazes de todas as ternuras. Que solidão! Minhas pernas capazes de todos os cansaços. Que solidão! E, no entanto, nesse cofre de carne onde a natureza impiedosa colocou os estigmas da paixão, palpita inútil um mártir. Nessas veias grossas, onde circula um sangue intenso, há o prenúncio adorável de uma fonte..."
Poeta Noturno
Enviado por Poeta Noturno em 06/05/2006
Código do texto: T151437
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeta Noturno
Itupeva - São Paulo - Brasil, 33 anos
2 textos (58 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 12:14)
Poeta Noturno