Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ENTRE A RUA E A ESCADA.........

ENTRE A RUA EA ESCADA
UMA JOVEM SE PERGUNTAVA,
PORQUE AQUI?
ESTOU NOVAMENTE PARADA?

ENTRE A RUA EA ESCADA
ERA O LUGAR PREFERIDO..E..
BEM ENFRENTE ÀQUELA CASA
SEMPRE AQUI.
PORQUE?
PORQUE?



O QUE A LEVARIA ENTAO..
NAQUELE BAIRO...
NAQUELA RUA...
E SEMPRE,
PARAR ENFRENTE....
ÀQUELA CASA.

ERA DIFICIL COMPREENDER..
PORQUE ALÉM DE TUDO,
AQUELA CASA,
PARECIA DESABITADA.

ALÉM DE TUDO
PARECIA TRISTE,
MAS...
MESMO ASSIM,
ELA SE PERGUNTAVA
PORQUE ESTOU AQUI PARADA?

ELA NAO SABIA, MAS.....
NA CASA HAVIA
ALGUÉM QUE SEMPRE A HABITARA,
UMA SENHORA QUE QUANDO JOVEM,
TUDO NA VIDA LHE PODARAM.

A JOVEM MESMO ASSIM SE PERGUNTAVA,
PORQUE ESTOU AQUI?
E PORQUE VOLTO TODOS OS DIAS?
E........CABISBAIXA...
PELAS RUAS RETORNAVA.

UM TRISTE DIA PORÉM..
AO CHEGAR NAQUELA RUA,
DE LONGE OBSERVAVA
ALGO ENFRENTE ÀQUELA CASA.

UM CORPO INÉRTE NO CHAO,
ENTRE A RUA EA ESCADA,
MALTRAPILHO..
TOCOU-O...
ESTAVA GELADO,
EM SUA MAO
UM BILHETE...
NA MAO CERRADA.

E A JOVEM SE PERGUNTAVA,
PORQUE AQUI?
NESTA RUA?
ENFRENTE A ESTA CASA?
E........
ENTRE A RUA EA ESCADA?

PORQUE ?
ELA NAO SABIA.......MAS,
DESESPERADA FICOU,
SEUS GRITOS DE SOCORRO,
DENTRO DA CASA ECOARAM,
E...
AOS POUCOS....
PELA PRIMEIRA VEZ,
A PORTA DA CASA SE ABRIU.

SOCORRO.....SOCORRO..
GRITAVA A JOVEM,
ELE ESTÁ MORTO,
COMO NUM PASSE DE MÁGICA...
A SENHORA DA CASA SE APROXIMA.

APROXIMOU-SE DA JOVEM,
E CALMAMENTE A ABRAÇOU
FIXOU O OLHAR NO CORPO INERTE,
E SEU PRANTO ENTAO ROLOU.

A JOVEM NADA ENTENDERA
A SENHORA AO CORPO SE PROSTOU,
TIRANDO DA MAO O BILHETE,
PARA A MENINA FALOU.

HÁ MUITOS ANOS MINHA JOVEM,
AQUI NESTE MESMO LUGAR,
ENTRE A RUA E A ESCADA,
ABENÇOADOS SOB A LUZ DO LUAR...
JURAMOS AMOR ETERNO..
E AMBOS NAO PUDEMOS SUSTENTAR.

AQUI NESTE LUGAR MENINA,
JUNTOS,
ELE E EU,
NOSSO AMOR CONCRETIZAMOS

SABENDO DO NOSSO AMOR,
PAPAI, DA CASA NOS EXPULSARA
SÓ PORQUE EU ERA RICA,
E ELE ALÉM DE POBRE,
ERA NOSSO EMPREGADO.

O AMOR ERA TAO GRANDE
QUE PARA O VENTRE ,EU,
APENAS POR NOVE MESES
UMA SEMENTINHA CULTIVEI.

QUANDO ELA GERMINOU,
O DESTINO FOI INGRATO,
NAO PUDE VER NOSSO FRUTO,
QUE DO MEU VENTRE FOI TIRADO...
E, ENTREGUE NUM ORFANATO.

DESDE AQUELE DIA MENINA,
DESTA CASA NAO SAI,
NEM PARA OLHAR O SOL,
NEM A LUA,
E MUITO MENOS A RUA.

NESTE LUGAR JOVEM,
ONDE TUDO COMEÇOU...
TUDO TERMINA.

ENTRE A RUA EA ESCADA,
ONDE ESCUTEI ALGUÉM DIZER,
"EU TE AMO"
AQUI,
ENTRE A RUA EA ESCADA,
DEPOIS DE MUITOS ANOS..
TE REENCONTRO
E AQUI....
ENTRE A RUA E A ESCADA..
TUDO ACABA,
E,.........
EM PRANTOS,
O BILHETE ELA LEU,
DISSE-ME.......
FILHA.....
ESTE ERA TEU PAI,
E TUA MAE ERA EU,


E ALI,
ENTRE A RUA E A ESCADA,
MINHA MAE TAMBEM MORREU,
NO MESMO LUGAR,
ONDE TUDO COMEÇOU ..
TERMINA,
ENTRE A RUA EA ESCADA.

(sua mae teve certeza porque em seu braço ela tinha o cordao de identificaçao do orfanato)
dora
Enviado por dora em 07/05/2006
Reeditado em 12/05/2006
Código do texto: T152063
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
dora
Chapecó - Santa Catarina - Brasil, 64 anos
179 textos (13782 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:38)
dora