Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(imagem: As duas Fridas, de Frida Khalo)

MÃE, APRENDI DIREITINHO... 

     Ô mãe, eu lembro tudinho. Seu curso de treinamento intensivo é pra lá de eficiente: seja forte, minha filha. Isso tudo passa. Nenhum mal dura pra sempre. Deus, quando fecha uma porta, abre uma janela (ai,mãe, levei tombos tentando entrar pela dita janela...). Não chora, que piora. Espera um pouco, que passa. Faz de conta que não ouviu nada. Isso não foi com você. Vai em frente. Depois da tempestade, vem a bonança (mãe, em alguns casos o que veio foi a ambulância). Passa batido e seja superior a isso. Você é maior que tudo isso, minha filha. 
     Mãe, eu sei que cê me treinou direitinho e aí eu cresci para ser dura na queda, pra não deixar a peteca cair, pra não pedir colo nem pra você que nunca pediu a ninguém, pra ser a dona do pedaço e não me importar quando metem a mão no meu queijo. Eu sei, mãe. Você trabalhou direitinho. Segura que você agüenta, estufa o peito e agüenta a porrada; você é forte e isso não é nada. Eu acredito, mãe. Tô fazendo tudo do jeitinho que você me ensinou. Inclusive, espera um pouquinho, que eu só vou ali tomar água da privada e chorar embaixo do chuveiro , mas volto novinha, tá??
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 11/05/2006
Código do texto: T154192

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154034 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:19)
Débora Denadai

Site do Escritor