Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ORGIA NO PLENÁRIO

Evaldo da Veiga


Amalucou só um tantinho,
em breve momento,
e logo queria outra cena em outro cenário,
e um novo orçamento.
Tentou tirar a calcinha pela cabeça,
até que lembrou que tinha pernas e deputados,
e repórteres de olho no momento.

Desatinou de vez,
mas também por breve instante,
até ser informada, que ainda
naquele ano,  haveria novas eleições ,
no mesmo clima de Deputação,
safadeza  e suas manobras de sempre...

Não percebeu que tinha platéia,
e de tão excitada tentou, várias vezes,
com insucessos repetidos,
vestir a calcinha logo na borda da sessão.

Nem percebeu que gente olhava
torcendo por um resultado bem positivo,
de um DNA descomprometido,
da Câmara ou do Senado,
"do não sei " do "não vi" e do "fico calado",
e sim, Xadrez nela,  Delegado.

Viu falecer suas ambições
quando o homem do rabecão levou papéis,
computador e votos, lá pra onde não tem
endereço, e se perdeu na confusão 
sem seu nome no listão.

Ninguém vai querer o seu lugar
sairá da folha de pagamento e do mensalão,
e vai curtir um balneário de areia,
Urubus vigiando,
saudade e solidão, aguardando a chegada,
de uma improvável  eleição (???).

www.recantodasletras.com.br/autores/evaldodaveiga

evaldodaveiga@Yahoo.com.br
Evaldo da Veiga
Enviado por Evaldo da Veiga em 28/05/2006
Reeditado em 14/05/2007
Código do texto: T164753

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Evaldo da Veiga
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 73 anos
952 textos (313605 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 01:59)
Evaldo da Veiga