Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Secreto Lamento

Estava só.

Respirei vezes em solavanco
Alternei as cheias com solar encanto
Espero assim, seguir os dias
Sem lenço, nem pranto.
Nuvens se apagam, esvaem-se como outras
E poucas restavam
Em poças estavam
Cego acho-me, deixando expandir
Permitindo-me, memórias a despir.
Protelei as notas
Violinos e vozes sem coração me continham
Era imensa selva em torno, virgem e parasitada
Ecoou xingando.
Os purês, as maçarocas de frases
Deve-se muito ao arcabouço frágil e itinerante
Suspirei os minutos simples na batelada dum afeto
Outros acordes faziam revoar abutres
Os mais moles e tendenciosos que por ali haviam
Não os neguei, apertei-os como a um mudo braço
Aportei-os num senhor de capote
De espaço, fundei labirintos, aqueci-os

O sol de intruso.
O vento ausente atendia a outro chamado
Debandou sereno, compelido
Estive só, num átimo, bem pouco
Necessário foi, fulgurou
Calafrio insustentável, insuportável
Hão de se achar as pedras em quedas
Nas paredes e nas frestas
Da manhã acinzentada
Secando cinco gotas dum orvalho não poético
Derretendo as infâmias do tempo,
Roto, leso, íntimo e verossímil.
Sabia tudo, tinha-o por mim,
Inteiro, incondicional.
Eram pétalas, de fragrâncias ímpares
Intocáveis.
Era saliva a escorrer,a acirrar conflitos
Derreteu linfa em jóia
Na raridade da Terra

Temer...
Não me era permitido
Pendia ali, na alcova
Tendo de alcunha, o louco, o psicótico
Entorpecendo lamúrias, abismos renitentes.
De tiro em pólvora,
Queimei os sonhos, esparramei os miolos.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 16/06/2006
Código do texto: T176567

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
730 textos (34084 leituras)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 04:51)
Cesar Poletto

Site do Escritor