Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PEDRAS CITADAS

Amanheceu em Viena
Viajei por toda a Europa
Berlim, Genova, Grécia
Chego a França
E me encantei
A vida nos ensina
Como dizia Joseph Joubert,
Grande escritor francês
Ensinar é aprender duas vezes.

A vida não se cansa de ensinar
Muitos de nós não percebe
As razoes da vida e da existência.
É sempre um grande mistério.
Oscar Wilde, com suas belas palavras
E sua arguta ironia
Já dizia
Viver é uma coisa rara,
A maioria apenas existe.

Berlim traz ares poéticos
Goethe viaja entre livros
Exala-se o amor
Nos ensina que a ação
É a melhor atitude
Diante da vida.
E completa: qualquer coisa
Que você possa fazer
Ou sonha que possa fazer,
Comece a fazê-la.

Os ares gregos com seus filósofos
Existenciais e epicuristas
Faz com que Atenas renasça
E o lampejo de Epícuro
É lançado sob minha alma:
Somente o justo desfruta
Da paz de espírito.
Linda frase, bela concepção.

Igrejas, bancos emadeirados
Chãos de preces e orações
A Itália, berço religioso
Representante terreno do céu
A santificação nos evoca
Respeito e humildade
São Francisco de Assis já dizia:
Faça o necessário, depois o possível,
E de repente, você estará fazendo o impossível.

Busco novos caminhos
Oceanos, atravesso
Chego a solo latino
Ao ver a beleza do céu
E o tanto que cruzei nas águas
Olho para trás e lembro
Uma grande citação:
Aquilo que se começa está metade feito.
Emociono-me ao lembrar de sábias palavras
E me inebrio com minhas inusitadas descobertas.

Encontro no Brasil
O verde sonhado
A natureza reluzente
O povo a trabalhar.
Penso, sinto
Como todo coração
Aquele lindo país.
Hélder Câmara soube expressar
Com precisos termos a alegria contagiante
E disse: o fundamental é afirmar-se
Na opção de alegrar o pensamento e o coração.
Marco meus passos na areia
Escolhendo o caminho da euforia.

O mundo novo
Com grand canyons e sol a pino
As rachaduras no solo e na alma
Cicatrizes de um povo.
Chego ao Texas
Trespasso as marcas do apartheid
Luther King vive:
Nossa eterna mensagem de esperança
É que a aurora chegará.
Sorrio e sento no meio do nada
E olho o horizonte
Contando as pedras no chão.
Navegar é preciso, viver não é preciso.
Vou em minhas eternas viagens.


jasmine jad
Enviado por jasmine jad em 19/06/2006
Código do texto: T178233
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
jasmine jad
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 35 anos
84 textos (2773 leituras)
2 e-livros (310 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 10:28)
jasmine jad