Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

tantos anos e...

tantos anos e depois,na mágoa do tempo, florescem penas farpeadas pelo amor e pelo desdém.

dos caminhos fantasiosos fica a poeira da memória que branqueia o tempo, escurecendo lembranças.

como efeméride perpetuada na pedra corroída,a vida passa e acontece sobrevivendo à apatia, ao desfile militarizado de multidões uniformizadas.

dos meninos presentes, fermentados pela inovação, não restam mais do que homens cozidos numa pressão qualquer que os rotula com termo de validade.

à volta, no ensurdecedor metralhado, balas de ritmo ferem a rotina enquanto o susto esvoaça até ao beiral do silêncio.

a cidade, o mundo transforma-se e agiganta-se em cada patamar de acesso ao piso das alturas, como se crescer não tivesse limite.

lá longe, onde os media alcançam, os factos são como atleta  vencendo a distancia duma resistência qualquer.

quando a noite derrota o dia e este é vencido pelo calendário, não há tempo que se guarde, nem história que se deturpe, na conveniência redactora.

é como percurso perseguido, como reler factos que se guardam em páginas abandonadas, esquecidas numa encadernação qualquer.

os limites estão subordinados e a liberdade vigiada no "chip" que guarda e uniformiza a sociedade identificada.

tantos anos e depois, somos uma máquina qualquer, que o homem idealiza e o progresso escraviza!
João Videira Santos
Enviado por João Videira Santos em 28/06/2006
Reeditado em 28/06/2006
Código do texto: T183709

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (João Videira Santos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
João Videira Santos
Lisboa - Lisboa - Portugal
233 textos (16636 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 01:56)
João Videira Santos