Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 EU UNPLUGGED...OU QUASE        

           Nao sei se devo ir ao Procon, ao IBAMA ou a uma dessas ONGs que dao proteçao as coisas. A verdade é que preciso proteger-me de mim mesma, antes que me estabaque com a cabeça na parede ou quebre os dedos com a minha mania de esmurrar as paredes com a ilusao de que consigo quebrá-las. Sou meio avoada e se me distraio, traio a mim mesma, erro o caminho, troco rotas e, sem perceber, e arrombo portas e quebro barracos. 

          Na falta de alguma instituiçao que proteja gente assim, creio que seria boa medida me levar a passeio pra longe de mim, me botar num balanço e brincar horas e horas em algum parque como se essa coisa que acontece e que o povo chama de vida nao estivesse acontecendo e fosse apenas um pesadelo em technicolor. Preciso me botar no meu colo e dizer pra mim mesma: “Pega leve que esse troço passa logo. Desliga.”

          Essa é a palavra-chave: desliga, desconecta. Já andei fuçando por todo lado mas nao encontrei a droga da chave on-off. Nao desconecta, nao desliga e fica rodando nos meus inúmeros hds sem descanso. Também nao encontrei a opçao “desfragmentar” para desocupar espaço de memória. Tem que ter uma opçao do tipo viagem interplanetária que me impeça de entrar em contato comigo mesma, pelo menos por algum tempo. Ou algum tipo de vida em universo paralelo, onde reencarno e me livro de mim, pelo menos para descansar.

          Talvez um belo porre de alguma coisa bem forte me tire do prumo e, meio desnorteada, bëbada, eu encontre o sumo, o que interessa de fato e jogue fora, no ato, o excesso de mim que me ataca. E aí, quem sabe regresso. Outra, diversa, sem ressaca. Só nao sei se vou gostar. Tenho essa mania de gostar de ser complicada. Nao me acostumo com coisas simples e muito óbvias. Sempre tem que ter uma pena no ovo ou um chifre na cabeça do cavalo.

          A verdade é que, enquanto estiver viva, tenho que andar com uma placa pregada na retina: "Perigo: afaste-se". E, de preferência, nao pense. POWER OFF. Mas o meu tá sempre no ON.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 07/07/2006
Código do texto: T189245

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154021 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 17:51)
Débora Denadai