Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PIETRO

               Antes que te anuciassem, eu já sabia que virias. Era um pressentir com certeza, uma certeza que vinha do nada, e tu nem bem abriras estrada. Mas, eu, tinha todas as certezas. Que virias menino, com olhos negros como os meus, com olhar que olha de lado, quase com cara de adeus e ao mesmo tempo de oi. E eu sabia que serias mais que um pedaço meu. 

              Quando já vivias alojado e confortável dentro de mim, como se meu útero fosse terra e tu, uma pequena raiz, eu, de(re)formada e desconfortável, ria das tuas estripolias e daquilo que tu me fizeras. Eu te exibia ao mundo com minhas melhores roupas, aquelas que tornam a barriga maior, como se ainda fosse pouco. Anunciar-te, exibir-te, meu orgulho. Orgulho de ser algo que nunca antes desejara, orgulho de ser-te abrigo, como se nenhuma outra no mundo pudesse sê-lo. 

               Era ainda madrugada e o dia ameaçava seus primeiros raios de amanhecer quando informaste em meio a ondas revoltas dentro do mar em que me habitavas, que haverias de vir a ser.

                Entre dores desconhecidas e um prazer descabido, dei-me a todos os esforços para ajudar-te no trabalho que ainda haveria de ser. E, rendida pelo cansaço em meio ao branco que reinava na sala, luziste. E o fizeste dando cores que nem posso dizer de tantas que eram. Só pude ver o teu rosto e quando abriste os teus olhos meninos e negros, compreendi que tu eras e também que era eu. 

               Agora, fora de mim e cada vez mais dentro, és meio dono de ti, cheio de razoes e argumentos e eu cheia de obrigaçoes e tormentos que o mundo me dá de presente. Mas quando ouço teu “te amo, mae”, compreendo que a melhor coisa de minha vida nao vale este momento, que me envia pra outra esfera, me alivia e eu me supero. És carinho, doçura, arroubos, teimosia pura. Como tua mae. Ès forte. Uma rocha. Pietro.

 

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 12/07/2006
Reeditado em 12/07/2006
Código do texto: T192591

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154025 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:16)
Débora Denadai