Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Que Quimera Queres? Tens a Vida!

Uma nota carregada e dissipadora
Aliteração dos sentidos, reunindo
Trazendo para si, a onomatopéia.
Dali, do recôndito âmago, aflora
Sapeca um beijo na canção de aurora
Exaustiva e orquestral, genial!
Ludwig Van, Wolfgang Amadeus.
Ó Taprobana, venha me dar pios salpicados,
Devagarinho.
Um passo no espinho, à esconsa
Respondendo, suspirando, extasiando.
Papéis grosseiros afinar-se-ão às pelicas
Ode à relíquia!
Intróitos, sentimentos redundantes, intensos,
Helicoidais.
E havia bastantes mais, sufrágio.
Vai-te à Passárgada, encontre o rei
Duas delicadas nozes, mascará
No vão dos dentes, ficará
Senão, não serei.
Profira-lhe tuas delícias, tuas dores
Teus pífios amores, incolores.
Perquira bastantes cais, a mais
Nas montanhas e nas Gerais
E tenha tais, as quais nem mais, rejeitam-te
Aceita-te.
Enfeita a lata fosca que cobre a alma
Consuma teus brigadeiros como se raros fossem...
São!
À sombra desta única, cata o chapéu, a túnica
E completa teu passeio no jardim.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 13/07/2006
Reeditado em 07/09/2007
Código do texto: T193007

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
730 textos (34087 leituras)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:21)
Cesar Poletto

Site do Escritor