Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(imagem Bond Girl, www.thousandimages.com)

ASSASSINATO A SANGUE FRIO

               Por favor, que hoje ninguém me peça para ter coraçao. Tirei férias dele a partir de agora mesmo. Permiti-me, até onde me foi possível suportar, todas as glórias e laceraçoes que o dito cujo pode trazer. Postas na balança, sinto, mas a relaçao custo-benefício é muito alta.
 
               Que nao me digam que nao sei receber amor, o que seria enorme injustiça. A mim, nao me basta receber, quando nao sou capaz de dar. E, by the way, também nao me peçam para falar de amor, já que amor e coraçao andam de maos dadas e costumam fazer das suas e nos deixar descobertas e nuas. Matarei um a um, qualquer resquício deste mal que encontre aqui por dentro. Farei picadinho do que possa, ainda que levemente, cheirar a amor ou algum próximo parente. E de amor, quando falar, saibam que nao será de um amor meu que estou falando. Há um modo mais fácil: me aproprio da história alheia e me inspiro. Chega de emoçao e suspiro. 

               Também nao me peçam nudez: a minha, quem a viu, já teve sua vez. Nao tenho mais, neste exato instante, a mínima ou mais sutil intençao de voltar a ser amante. Perdi a competência para tanto, perdi a paciência com os altos e os baixos (inclusive no que tange mesmo ao sentido literal), perdi noites de sono por coisas que nao fiz, que nao merecia e para as quais, principalmente, me encontrava em total impotência. 

               Por tudo isso e um tanto mais, nao me peçam coraçao, amor, coerência, compaixao ou complacência. Meu cérebro é um bom amigo e me aconselha, com sabedoria, a manter-me distante do perigo. Que nao se metam comigo. Canso de avisar, sem que ninguém ouça. Mais uma vez lá vai: nao se metam comigo. Fria, roubada, é buscar cabelo em ovo, chifre em cabeça de cavalo. 

               Nao me peçam coraçao. Saí da novela. Estou na hora do intervalo.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 13/07/2006
Código do texto: T193138

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154043 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:05)
Débora Denadai

Site do Escritor